Pocar Festival de Cultura promove construção de pontes entre a cultura popular e linguagens artísticas contemporâneas

Entre os dias 26 e 30 de Junho, o Instituto Cultural Tambor de Raiz e o Estandarte Cia. de Teatro realizam a 7ª edição do POCAR – Festival de Cultura. Após hiato de um ano, em função da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), o evento que tradicionalmente vinha transformando a cidade de Conceição da Barra em capital cultural do norte do Espírito Santo retoma suas ações, agora on-line. Na programação, estão espetáculos teatrais, mesas de debate e shows, com transmissão ao vivo, no canal do evento no YouTube.

O POCAR Festival de Cultura é uma realização do Instituto Cultural Tambor de Raiz, em parceria com a Estandarte Cia. de Teatro, com apoio da Fundação Renova, por meio do Edital Doce, no Espírito Santo, e recursos da Lei Aldir Blanc, da Secretaria da Cultura (Secult).

Nascido em 2013 como marco para celebrar a elevação do conjunto arquitetônico que circunda a praça central de Conceição da Barra como Patrimônio Histórico e Artístico do Estado, o POCAR vem se estabelecendo como evento cultural de referência no norte capixaba, construindo pontes entre tradições culturais e gastronômicas da região, e expressões artísticas contemporâneas, com ampla circulação em diferentes setores da economia da cultura nacional.

Em 2021, com a pandemia que assola o País, o POCAR se viu diante de um grande desafio: manter fidelidade às bases conceituais que deram origem ao festival e, paralelamente, transpor o evento para o universo virtual o que, de certa forma, desestabilizaria a fruição do festival. Posto o desafio, o evento chega a sua versão on-line, mas conservando sua identidade, ao apostar no diálogo e na possibilidade de transpor os limites do Estado, conquistando novos espectadores, especialmente aqueles que, cada vez mais, vêm consumindo cultura pela internet.

“O POCAR nasceu como gesto de resistência e conquistou espaço no calendário cultural do Estado, por suas características e pelo estreitamento de relações entre diversos setores da cultura, de diferentes lugares e linguagens. Infelizmente, a pandemia do novo Coronavírus impossibilitou que o festival acontecesse no ano passado. A cobrança do público, os esforços de nossa equipe, a Lei Aldir Blanc, por meio do Governo do Espírito Santo, além de parcerias público-privadas, permitiram que a gente fizesse o evento este ano, num formato on-line, que vai permitir que o público confira atrações de alto-nível no conforto de suas casas”, comenta Didito Camillo, idealizador do festival e diretor do Instituto Cultural Tambor de Raiz.

Nesse sentido, o festival apresenta uma programação diversificada e gratuita, promovendo encontro entre artistas de renome nacional e expoentes do Sapê do Norte. A abertura do evento acontece neste sábado (26), às 16 horas, em uma live que junta, no mesmo palco, a cantora e compositora paulistana Mariana Aydar, vencedora do Grammy Latino 2020, com um disco dedicado ao forró, à banda Fogumano, de Itaúnas, que há 20 anos se dedica à pesquisa e difusão do gênero. Com participação especial da artista ao lado do grupo, o show festeja o ritmo que há muito faz parte da paisagem sonora do norte do Espírito Santo, num repertório com grandes sucessos do gênero e canções autorais.

O encontro entre o local e o global motiva uma segunda live especial. No domingo (27), às 16 horas, a positividade e vibração do reggae reúnem a banda Macucos, uma das joias da música pop capixaba e Saulo Camilo, cantor e músico barrense, num show que leva o clima praieiro e a alegria do gênero musical jamaicano para todo o Brasil.

No campo das artes cênicas, o Instituto Cultural Tambor de Raiz apresenta duas montagens que reverenciam a memória e a herança do povo preto e das comunidades quilombolas do norte do Espírito Santo. Na próxima segunda-feira (29), às 20h30, o espetáculo Memórias à Venda convida o público a uma imersão nas falas, cantorias e elementos da cultura popular e tradição oral do norte da região.

Já na próxima quarta-feira (30), no mesmo horário, a peça Caburé narra a história real de Negro Rugério, grande líder negro, fundador do Quilombo do Morro, na cidade de Santana e que conquistou sua liberdade no Brasil colonial, lutando pela vida de pretos e pretas escravizados, fazendo da região um dos mais importantes polos de produção da farinha de mandioca do mundo. 

Ciclo de Palestras Tradição, Cultura e Memória do Espírito Santo

O cuidado e a atenção com os saberes e fazeres do Sapê do Norte, no sentido de contribuir com a salvaguarda dos legados culturais e gastronômicos afro-brasileiros, próprios das comunidades da região, são, desde a criação do POCAR, pilares fundamentais. A conexão com o patrimônio imaterial do Estado se materializa na realização do Ciclo de Palestras Tradição, Cultura e Memória do Espírito Santo.

São cinco mesas, com atividades práticas e teóricas que abordam os toques, danças e cantos do Ticumbi e do Jongo, os aspectos etnomusicológicos da música capixaba, a função do teatro na preservação da memória cultural do norte do Estado, e os aspectos metalinguísticos da capoeira e seus toques. As mesas contam com a participação de Mestres, Mestras, pesquisadores e guardiões da memória das manifestações folclóricas do Espírito Santo, entre eles Mestre Terto (Baile de Congo de São Benetido), Mestra Osmara (Jongo do Sapê do Norte), Maestro Helder Trefzger (Orquestra Sinfônica do Espírito Santo), os capoeiristas do grupo Arcabo entre outros.

Serviços:
Programação Completa
Fogumano e Mariana Aydar
Dia: 26 de Junho
Horário: 16h


Macucos e Saulo Camilo
Dia: 27 de junho
Horário: 16h

 

Espetáculo Memórias à Venda
Dia: 29 de junho
Horário: 20h30

 

Espetáculo Caburé
Dia: 30 de junho
Horário: 20h30

 

Ciclo de Palestras Tradição, Cultura e Memória do Espírito Santo
Dia 28 de junho
Mesa Ticumbi – Baile de Congo de São Benedito
Horário: 18h
Participação: Mestre Terto, Jonas Balbino (Rei de Congo), Enio Ardohain e Apoena Medeiros (vassalos).

 

O Jongo do Sapê do Norte
Horário: 19h
Participação: Mestra Osmara Guilherme (Bibiu) e Prof. Dr. Osvaldo Martins de Oliveira.

 

Mesa A Música no Contexto da Cultura Tradicional Popular do Espírito Santo: um passo na caminhada de pensamento da música capixaba
Horário: 20h
Participação: Herialdo Plotegher (Secretaria da Cultura do Governo do Espírito Santo), Aline Meireles (Grupo de pesquisa Jongos e Caxambus: memórias de mestres e patrimônio cultural afro-brasileiro,) Maestro Helder Trefzger (Orquestra Sinfônica do Espírito Santo).

 

Dia 29 de junho
Mesa Teatro e Memória Ancestral
Horário: 19h
Participação: Didito Camillo (Instituto Cultural Tambor de Raiz) e Nieve Matos (Repertório Artes Cênicas)

 

Dia 30 de junho
Mesa Capoeira: toques e fundamentos
Horário: 19h
Participação: Mestre Cacau, Contra-mestre Borges e Danilo Lopes, Grupo Arcabo.

 

Pocar – Festival de Cultura / Edição On-Line
Dia: de 26 a 30 de junho
Programação Gratuita.
Transmissão: POCAR – Festival de Cultura – YouTube
www.pocarfestivaldecultura.com.br

Assessoria de Imprensa
Saulo Rios – imprensa.pocar@gmail.com
(31) – 99848 – 9333