Pobreza e fome é a realidade para duas famílias de Vila Pavão

Compartilhe

 

Nos dois lares, as crianças têm seus desejos de Natal: bombom, carne e por último, vem brinquedos, já que a falta de alimentos é cotidiana nas duas casas. Se você pode ajudar, essa é a oportunidade de ofertar comida a quem tem fome


Reportagem: Cintia Zaché / Rede Notícia“Algumas vezes não tínhamos nada para comer, já aconteceu esses tempos, e as crianças pedindo comida, eu não tinha o que fazer, único alimento em casa era o leite materno, para meu bebê, passamos fome mesmo”. Essa é a realidade da Diéssica Elias Santos, 28 anos, que desempregada, moradora de Vila Pavão, mãe de três crianças, um menino de pouco mais de um ano, e duas meninas, uma de sete e outra de 11. O marido, o Eduardo Souza Almeida, 31, é lavrador, trabalha e ganha por dia na roça. De acordo com a esposa, há dias que não tem serviço.

Em uma pequena casa alugada no valor de R$ 300, a família vem vivendo uma situação difícil. No café da manhã não há pão, biscoito, nada para comer. As duas únicas refeições são no almoço e na janta, e bem regrado, sendo únicos alimentos na residência, doados mês passado pela Secretaria Municipal de Ação Social. “A cesta básica que ganhamos já está acabando. Comemos arroz, feijão e salame. Coloco bem pouco em meu prato, para sobrar mais para as crianças, mas mesmo assim, vai pouco ao prato deles também. Fazer o que? Tenho que dividir, para que eles tenham um pouco de comida para amanhã”, diz Diéssica.

A moradora de Vila Pavão relata que há dois meses teve o benefício do Programa Bolsa Família, atual Auxílio Brasil, cortado, o que prejudicou nas despesas da casa. Sobre o Natal, ela disse que as crianças não vão ganhar nada, mas pedem uma caixa de bombom, já que brinquedo é um sonho ainda mais distante para eles. “Claro que meus filhos gostariam de ganhar brinquedos, mas nem comida temos, há mais de seis meses que não sabemos o que seja comer carne”, desabafa.

Além de alimentos e leite para as crianças, a família precisa de roupa de cama, e fralda tamanho G.

Quem puder ajudar, as entregas podem ser realizadas na casa da Diéssica, que no momento não tem celular para contato. Endereço: Escadaria 1° de Maio, 20 – Centro – Vila Pavão.

» Os dois filhos maiores da Diéssica pediram uma caixa de bombom de Natal, por lá, a comida é escassa

Operado e sem trabalhar

Acamado, o lavrador José Carlos de Souza, 40, é mais um caso de uma família que passa necessidades. Também morador de Vila Pavão, no Córrego de Boa Fé, a 15 quilômetros da cidade, ele já passou pela quinta cirurgia após um acidente de trabalho, que aconteceu há mais de dez anos. De lá para cá, o lavrador não poderia trabalhar em serviço pesado, mas, para manter a casa, é o que ele faz. “Eu não poderia fazer serviço pesado mais, só que não tenho outra opção. O que temos em casa foi o CRAS quem deu, uma cesta básica. Está acabando. O patrão deixa eu pegar ovos aqui na roça, moro na casa da propriedade, a gente tem umas raízes plantadas e vai comendo”, diz.

José Carlos e a esposa, a Itamara Roncon Dias, 22, têm um menino de 11 anos em casa, que é filho dele, e a irmã dela, de 13. “Ele adora churrasco, é o que ele queria comer no Natal, ele pede às vezes, mas, entende que não temos como comprar. Tem quase um ano que não comemos carne vermelha aqui. Meu patrão me deu o bofe e um bucho, quando ele matou um gado, ajudei. Depois disso, nunca mais”, fala.

Mesmo com sequelas de um acidente de trabalho, José Carlos nunca recebeu benefício do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). A renda vem de quando ele pode trabalhar. “Quando posso, trabalho dois ou três dias. “Fui fazer um serviço pesado e tenho uma hérnia aberta no local da cirurgia, infeccionou, vou ter que operar de novo, estou na cama”, explica.

O lavrador afirma que o sonho dele, realmente, seria melhorar e voltar a trabalhar, para sustentar a família. “Não quero nada para mim, é para as crianças. No almoço temos o que tem na cesta, que é o arroz, feijão, e o ovo é daqui. Elas (crianças) pedem leite com achocolatado, coisas de criança, mas, não temos como ter”, relata.

O casal conta que, para ir à escola, o menino e a menina enfrentam quase quatro quilômetros de caminhada, entre sol e chuva, e de estomago vazio.
Além de alimentos, o José Carlos precisa de remédios e roupa de cama. A família não sabe como vai passar o Natal, já que a cesta que ganhou está acabando. “Fica difícil não poder trabalhar e não poder sustentar a minha família, é triste, ainda mais nessa época. Presente eles não vão ter, nem sei se comida terão”, fala.

Quem puder ajudar, a família mora no Córrego de Boa Fé, onde as doações podem ser entregues, ou, na casa do empregador do José Carlos, que fica perto dos Correios, em frente ao Incaper de Vila Pavão (José Simonassi ou Geraldo). Informações: 98143-0771 (José Carlos).

» Na casa do José Carlos, uma carne para churrasco iria alegrar o Natal da família. O pedido foi feito pelo filho dele

Leia também

População aplaude ampliação da calçada na Av. Jones dos Santos Neves

“Está ficando muito bom, as calçadas estão cheias de buracos e difícil de passar, com essa mudança fica...

EDP está distribuindo 5 mil lâmpadas de LED para clientes em Barra de São Francisco

Começou nesta segunda-feira, 9 e vai até sábado, 14, a distribuição de cinco mil lâmpadas de LED para clientes residenciais da EDP...

5G: Câmara aprova projeto que facilita chegada da tecnologia no país

Nesta terça-feira (10), a Câmara dos Deputados aprovou o PL 8518/2017, que disciplina o licenciamento temporário e acelera...

Lâmpadas queimadas são substituídas no distrito de Poranga e Irmãos Fernandes pela prefeitura francisquense

Servidores da secretaria de Serviços da prefeitura de Barra de São Francisco, realizaram manutenção na iluminação pública no...

Mais de 1.000 presos são liberados para “saidinha” do Dia das Mães nesta quarta

Apesar do Dia das Mães ter sido celebrado no último domingo (08), 1.014 presos foram liberados para a...

Sine abre a semana com 23 vagas de emprego formal em Barra de São Francisco

  A agência do Sine em Barra de São Francisco, abre a semana com 23 oportunidades de empregos formais. Algumas...

Rejeitos de granito são aproveitados em obras no interior de Barra de São Francisco

A Prefeitura de Barra de São Francisco, através da Secretaria de Transportes e Estradas (Semte), construiu mais dois...

Motociclista é assassinado com vários tiros no bairro Bela Vista, em Colatina

Policiais militares se deslocaram na madrugada desta quarta-feira (11), até a rua Antônio Folhagem, no bairro Bela Vista,...