Plano Estadual de Políticas das Juventudes é finalizado em reunião no último sábado

O primeiro Plano Estadual de Políticas das Juventudes foi finalizado, no último sábado (28), em reunião ampliada em formatos presencial e on-line, que aconteceu no Palácio Fonte Grande, no Centro de Vitória. O documento será agora publicado como decreto, com validade para todo o Estado para os próximos dez anos.

O Plano é resultado do esforço coletivo das juventudes do Espírito Santo, do Conselho Estadual da Juventude do Espírito Santo (Cejuve) e do Governo do Estado, com o objetivo de garantir os direitos e a atenção das juventudes. O plano é um marco em todo o Brasil, que carece de legislação de proteção das juventudes e sua diversidade.

“Este plano é compromisso do governador Renato Casagrande, como foi o Plano de Políticas para as Mulheres e de População em Situação de Rua. Neste dia tão importante, comemoramos essa vitória. Vocês são guerreiros e guerreiras incríveis nessa luta. Além do Plano, já encaminhamos para Assembleia Legislativa o projeto do Fundo Estadual para as Juventudes do Espírito Santo, que é outra conquista de vocês. Ele vai garantir a continuidade dos projetos sonhados por vocês”, pontuou a secretária de Estado de Direitos Humanos, Nara Borgo.

Durante a reunião, a secretária agradeceu a toda a equipe da Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), que trabalhou para viabilizar o Plano.

“Ele é um sonho da juventude, que vai se concretizar para garantir mais qualidade de vida para os jovens. Neste momento, não temos como esquecer dos jovens que lutaram para que esse plano fosse implementado, entre eles, o Lula Rocha”, disse a gerente de Juventudes, Fabricia Barbosa. 

“Hoje o dia é um marco histórico, importante não só para o Cejuve, não do Plano, mas sim dia da juventude capixaba, que vai valer por dez anos. Quando não formos mais jovens, o que aprovamos aqui vai valer para quem for”, afirmou o presidente do Cejuve, Walace Silva Vargas.

O presidente da Comissão Temporária do Plano, Ramom Matheus dos Santos, que também é vice-presidente do Fórum Estadual da Juventude Negra do Espírito Santo (Fejunes), também falou sobre a importância do plano.

“Pretendemos que esse plano possa suprir as lacunas que atravessam a vida dos jovens capixabas, marcada, principalmente, pelas ausências de políticas de promoção do pleno desenvolvimento social. Eu sou um sobrevivente desse sistema, após ser vítima de bala perdida na periferia. Quando olhamos para os dados que mostram que mais da metade dos homicídios cometidos no Brasil são contra jovens, sobretudo negros, compreendemos que é urgente o plano”, frisou Santos.