Planeta Terra entra na UTI e está próximo da fase terminal, apontam cientistas

Cientistas analisaram os sinais vitais da Terra e chegaram a uma triste conclusão: o planeta caminha para uma fase terminal e já está na UTI. A informação é de Lauro Lam, publicada em Olhar Digital.

De 31 métricas que avaliam a saúde ecológica criadas por pesquisadores de inúmeras universidades ao redor do mundo, em 18 delas os resultados são insatisfatórios. O relatório com o dado alarmante deverá ser publicado na revista BioSciense e reúne uma atualização de 14.000 especialistas que atestaram as informações.

Entre as prinicipais preocupações dos cientistas estão os níveis atmosféricos elevados de metano e dióxido de carbono, que atingiram um índice recorde. Aliado a isso, o gelo do Ártico e as geleiras estão no nível mais baixo de todos os tempos. Além disso, o nível do mar e as temperaturas oceânicas estão no máximo.

O aumento do desmatamento da Amazônia registrado nos últimos anos também consta no relatório, com danos visíveis que já estão causando inúmeras mudanças climáticas, como o aquecimento global, crise hídrica e chuvas torrenciais na Europa. “O clima está se comportando de maneira chocante e inesperada”, disse à AFP o diretor do Instituto de Sistemas Globais da Universidade de Exeter, Tim Lenton.

Geleira Aquecimento Global
Cientistas afirmam que o estado alarmante do planeta Terra vai bem além do que o aquecimento global, tendo como principal causa a superexploração humana dos recursos naturais. Imagem: Bernhard Staehli/Shutterstock

Os cientistas afirmam que existem muitos outros sintomas da situação caótica que precisam ser tratados com seriedade, ou seja, há problemas tão acentuados quanto o aquecimento global que necessitam de políticas públicas de combate e mais consciência ambiental por parte da população.

Planeta a beira do caos

“Precisamos parar de tratar a emergência climática como uma questão autônoma – o aquecimento global não é o único sintoma de nosso estressado sistema terrestre”, disse o ecologista William Ripple da Oregon State University à AFP . Segundo ele, a causa de todos os males sofridos pelo planeta é justamente a superexploração humana.