Piloto de Nova Venécia já sobrevoou todos os continentes; veja detalhes

Com 35 anos de aviação, 15 mil horas de voo e com a oportunidade de ter conhecido através da profissão todos os continentes, o veneciano Peter Kruger, 54 anos, é piloto executivo e comercial da Embraer, empresa em que atua como comandante e instrutor internacional de voo. A reportagem especial é de Cintia Zaché, da Rede Notícia.

Uma das responsabilidades do comandante é realizar demonstração de voo com intuito de fazer propaganda de uma nova aeronave da Embraer, tanto em nível nacional, quanto mundial, podendo também ser em eventos como por exemplo, feiras ou demonstração para clientes. “Dou instrução de simulador de voo fazemos entrega de aeronave. A Embraer se diferencia no mercado pelo acabamento, robustez e economia de combustível”, diz.

A próxima missão do piloto é para a Nigéria. Na terça-feira (15), Kruger viaja para o País africano, para entregar uma aeronave para a empresa Air Peace, ficando uma semana por lá.

De acordo com Peter, entre todos os voos que fez, alguns se destacaram e o primeiro deles, foi um voo de demonstração de aeronave para o Bruce Dickinson, vocalista da banda britânica, Iron Maiden. Outra missão que é orgulho para o veneciano, foi quando o cineasta e ator Jackie Chan comprou o avião da Embraer e Peter foi o responsável por entregar a aeronave, na China. “Já transportei o ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, o cineasta americano Tyler Perry, o presidente do Panamá e entre outros. Estou há 16 anos na Embraer”, explica.

» Peter em um voo de demonstração de aeronave para o Bruce Dickinson, vocalista da banda britânica, Iron Maiden

Com viagens agendadas, muitas vezes, Peter passa grandes períodos nos locais onde vai a trabalho. A Tanzânia, País localizado na África Ocidental, foi onde o piloto permaneceu por mais tempo em missão, ficando seis meses.

Levando em conta que o escritório do Peter é mundo afora, de acordo com ele, escolher um local em que mais gostou, fica difícil. “Cada lugar tem sua particularidade. O noroeste dos Estados Unidos é lindo. A Muralha da China, Moscou, a Finlândia, cada país tem sua característica geográfica diferente. E assim funciona também com a culinária. A Itália se destaca para mim, pelas massas, a Grécia, os doces, os Estados Unidos, as carnes, a China, tem o arroz”, narra.

Com a carteira de habilitação de piloto nacional, Peter é habilitado para o ofício também em outros Países do mundo. Quando perguntado ao piloto qual a sua maior preocupação durante o tempo que está voando e se ele tem medo de turbulência, Peter é preciso em sua reposta. “Administrar o voo é a parte mais fácil, basta cuidar da meteorologia e combustível a bordo, eu nunca passei aperto. Sobre turbulência, não tenho medo algum. Avião é como “João bobo”, sempre volta para estabilidade, chamamos de estabilidade dinâmica. Claro que cuidamos para não entrarmos em mal tempo. Na aviação temos um trinômio: segurança, conforto e economia. Segurança em primeiro lugar”, explica.


Carreira

Formado em Engenharia Elétrica, na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e Direito na UVV, Peter foi aluno do Aeroclube do Espírito Santo, localizado na Barra do Jucu. Após, foi piloto na UNIAIR, empresa da Unicafe da família Cozer, depois seguiu para a extinta Transbrasil, onde ingressou como co-piloto internacional, se tornando comandante na linha doméstica. Com a falência da empresa, o veneciano voou pela Gol, Trip e chegou a Embraer, onde está há mais de uma década, tendo geralmente suas escalas de 45 em missão e 20 de folga.


Nascido em Nova Venécia e frequentador do extinto cinema

Filho de Carlos Alberto Kruger (In Memória) e Ilda Gozzer Kruger, irmão da Patricia Kruger, Peter morava no bairro Filomena e foi embora de Nova Venécia com a família quando tinha um ano e meio de idade. A mudança foi para Guarapari. Mais tarde, mudou-se para Vila Velha, onde vive até hoje. “Até a minha maioridade, sempre visitava minha cidade Natal. Lembro de muitos filmes do Mazzaropi que assisti no cinema, que ficava em frente a escadaria”, narra.

Tendo negócios no ramo de serraria, a família foi embora do município veneciano porque os pais do Peter tinham outros planos de vida. O pai, o Carlos Alberto Kruger, também era piloto de avião. “Ele me levou para o primeiro voo quando eu tinha 16 anos. Não vi muita graça. O interesse veio somente depois de ter cursado faculdade”, esclarece.

» Pai do Peter, Carlos Alberto Kruger (In Memória), também era piloto e transportou o Papa João Paulo II em 1980

Durante a entrevista, o veneciano contou que guarda recordações da cidade, e que é primo do Romeu Rodor, Monica Rodo, Bruno e Estevão Zenor, Dinalva Gozzer Borges, Penha Cimadon, amigo da Sônia Pilon, entre outros. “Meu pai era conhecido em Nova Venécia como Carlinhos “doido”, pois era um dos poucos na época que tinha motocicleta de grande porte e andava fazendo peripécias nas ruas. Dona Glacira (In Memória) do salão de beleza na rua Eurico Sales, era minha tia, irmã de mamãe, Ignacio Rodor (In Memória) e Celinha Kruger meus tios”, conta.

Casado há 16 anos com a Lourdes Moura, Peter que é pai da Yasmin Kruger, 21, fruto do seu primeiro casamento, e relata que mesmo ausente da região veneciana, o destino de vez em quando dá um jeito de colocar Nova Venécia em sua vida. “Fiz alguns voos em treinamento para me tornar piloto aí. Pousei no aeroporto antigo no alto da cidade, onde tinha o Batalhão da Polícia, que depois foi para a lateral da rodovia”, finaliza.

» Peter com os pais Carlos Alberto Kruger (In Memória) e Ilda Gozzer Kruger, a
irmã, a Patricia Kruger, e a filha, a Yasmin

Embraer
A Embraer S.A. é um conglomerado transnacional brasileiro, fabricante de aviões comerciais, executivos, agrícolas e militares, peças aeroespaciais, serviços e suporte na área. O maior comprador da empresa no exterior, Estados Unidos. A empresa é a terceira maior companhia do mundo, na linha de montagem.

» Peter soma 35 anos de aviação, 15 mil horas de voo e atua como comandante e instrutor internacional de voo