Pessoas com deficiência passam a ter mais representatividade na SEDH

A Secretaria de Direitos Humanos (SEDH) agora conta com a Gerência de Políticas para as Pessoas com Deficiência. Quem assume é a doutora em Educação, com experiência em Educação Especial, Carline Santos Borges.

A gerência integra a Subsecretaria de Promoção, Proteção e Defesa dos Direitos Humanos. De acordo com o subsecretário Junior Bola, foi atendida uma demanda social e que contribui para a eficácia, rapidez e assertividade na construção de políticas públicas dos Direitos Humanos no Espírito Santo.

Um dos nossos desafios, nesta gestão, era dar visibilidade às pautas de pessoas com deficiência. Começamos então a articular a criação de uma gerência da pessoa com deficiência, para que pudesse acompanhar in loco essas pautas. Conseguimos a parceria e a compreensão do governador Renato Casagrande, que nos deu a honra de ter essa gerência, para que agora possamos dialogar com mais eficiência tanto com o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência quanto com as demandas que são pertinentes, agora com uma pessoa com expertise no assunto, que é a nossa gerente Carline. Ainda temos muitos desafios, mas é um grande e primeiro passo a criação dessa gerência para continuar avançando em políticas públicas”, explicou o subsecretário Junior Bola.

A gerente Carline, que trabalha com Educação Especial há anos, falou sobre os planos para os primeiros meses de trabalho.

“Quero fazer articulações com as Secretarias de Educação, Turismo e Cultura para irmos além da inclusão escolar. As pessoas com deficiência têm direito a lazer, acessibilidade, moradia, e tudo isso com muita qualidade. A criação dessa gerência é algo muito significativo, um passo muito importante que o Governo do Estado está dando, pois está materializando uma orientação que é de nível internacional para o estadual, também sendo algo para fortalecer o que é previsto na Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência”, declarou Carline.

Quem é Carline Santos Borges

Graduada em Pedagogia pela Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e mestra em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação da mesma universidade. Doutora em Educação pelo Programa de Pós-graduação em Educação do Centro de Educação da Ufes.

Fez estágio de doutoramento em Educação no exterior pelo Instituto de Educação da Universidade de Lisboa na área de Formação de Professores – especialidade: Educação Especial, no âmbito do Programa Intercalar de Doutoramento em Educação.

É pós-graduanda em Síndrome de Down pelo Centro de Estudos e Pesquisas Clínicas de São Paulo (CEPEC/SP) em parceria com a Faculdade de Medicina do ABC.

Atua nas Linhas de Pesquisa: Diversidade e Práticas Educacionais inclusivas; Educação Especial e Processos Inclusivos. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Especial, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Especial, formação de professores, políticas públicas, atendimento educacional especializado e currículo escolar. Tem experiência profissional como professora de Educação Especial e de curso de Pedagogia.

Possui dois livros publicados: “Atendimento Educacional Especializado na Escola Comum como Ação Pedagógica Favorecedora da Educação Inclusiva” e “Saberes e fazeres pedagógicos das deficiências física e múltipla”.

 

Leia mais

Leia também