Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem aponta avanços brasileiros

Levantamento promovido em 2018 com 2.447 professores e diretores de 185 escolas dos anos finais do ensino fundamental (5º ao 9º ano) e 2.883 profissionais de 186 escolas do ensino médio das redes pública e privada mostra que o Brasil está avançando na melhoria do ambiente e condições de trabalho de professores.

A Pesquisa Internacional sobre Ensino e Aprendizagem 2018 (Teaching and Learning International Survey – Talis), coordenada mundialmente pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e aplicada no Brasil pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), aponta, entre outros avanços, que o percentual de professores brasileiros com estabilidade na profissão chega a 79%.

O percentual representa professores com contratos por tempo indeterminado e deixa o Brasil bem perto da média Talis nesse quesito, que é de 80%. Além do Brasil, 47 países e economias tiveram os contextos do ensino e da aprendizagem verificados do ponto de vista de professores e diretores em políticas educacionais, como atração, desenvolvimento e manutenção de professores na profissão; políticas escolares que apoiam a eficácia na aprendizagem; e práticas de ensino e aprendizagem eficazes.

Os números compõem o Volume II do relatório da pesquisa, que, além das condições de estabilidade dos professores, avaliou os fatores de estresse dos profissionais nos ambientes de trabalho. De acordo com a pesquisa Talis, 37% dos professores brasileiros dos anos finais do ensino fundamental disseram que se sentem bastante ou muito estressados nos trabalhos. O dado está abaixo da Média Talis (45%), mas ainda é alto em comparação com outros países.

As estatísticas apontadas na pesquisa permitem análises sobre como as políticas implementadas se cruzam com as atitudes profissionais e os comportamentos de professores e diretores no nível individual, escolar e do sistema. O objetivo final é conduzir de maneira mais assertiva ações políticas associadas à redução do estresse.

Censo Escolar 2020

A estabilidade na profissão docente também pôde ser observada nos dados do Censo Escolar 2020, que revelam a permanência dos professores na mesma escola por mais tempo. A permanência no quadro funcional de uma instituição permite conhecer melhor a escola e contribuir na relação com os alunos e na aproximação com as famílias e as comunidades atendidas.

Segundo dados do Censo Escolar 2020, foram registrados 2,2 milhões de docentes na Educação Básica brasileira nas redes federal, estaduais, municipais e privadas. A maior parte deles, 1,3 milhão de profissionais, atua no ensino fundamental (63,0%). Os dados mantêm os professores como importantes agentes sociais que ajudam na promoção de condições para o bem-estar e o aprendizado de 47,3 milhões de alunos matriculados nas 179,5 mil escolas de Educação Básica no Brasil todo.

Quanto à satisfação com o trabalho, em geral os participantes da Talis demonstraram estar satisfeitos em exercer a profissão de professor. Entre os docentes dos anos finais do ensino fundamental, cerca de 65% dos brasileiros indicaram que as vantagens do ofício de educador superam as desvantagens. Esses resultados oferecem suporte para o planejamento, o acompanhamento e a avaliação das políticas educacionais brasileiras sobre o ambiente escolar, a partir de indicadores internacionais comparáveis.

Acesse os resultados brasileiros da Talis

 

 

-->