Pesquisa aponta que 80% dos internautas consideram que rastreamento da origem do coronavírus está politizado


Rádio Internacional da China – Segundo uma sondagem feita pelo think tank da CGTN, 80% dos entrevistados no mundo  consideram que o rastreamento da origem do novo coronavírus está politizado.

A sondagem no espaço cibernético, disponibilizada em chinês, inglês, russo, francês, espanhol e árabe, cinco idiomas oficiais da ONU, começou na madrugada do dia 24 de julho. Até as 22h do dia 25 de julho, no Twitter, 90% dos internautas de idioma espanhol reconhecem que o rastreamento da origem do novo coronavírus está politizado. Enquanto esse percentual é 88%, 83%, 70% e 68% para os internautas cujos idiomas são francês, russo, inglês e árabe.

No Facebook, em média, 83% dos internautas de inglês, espanhol, francês, árabe e russo reconhecem a politização do rastreamento do vírus.

Na rede social chinesa Weibo, 95% dos internautas selecionam o item “o rastreamento da origem do novo coronavírus está politizado”, representando um alto consenso.

Uma mensagem em inglês diz que a OMS deve resolver a questão da pressão política e o rastreamento da origem do vírus é uma estratégia política adotada por Washington com o intuito de reprimir a China. Outra mensagem em russo fala diretamente que o rastreamento do vírus é uma guerra desencadeada pelos países ocidentais.

A segunda questão desta sondagem realizada pelo think tank da CGTN foi se a pessoa “apoia a investigação da origem do novo coronavírus em mais países”. 83% dos internautas no Twitter, 79% dos internautas no Facebook e 93% dos internautas no Weibo apoiam a realização desta investigação em mais países.

Em relação à pergunta “qual é o trabalho mais urgente no enfrentamento da pandemia?”, a resposta dos participantes da sondagem concentrou-se na “ampliação do fornecimento de vacinas”, “reforço do tratamento médico”, e “isolamento das áreas mais afetadas pela pandemia”.

Sede da OMS

Sede da OMS (Foto: Xinhua)