Pesquisa analisa esgoto do Espírito Santo para identificar presença do coronavírus

Um grupo de pesquisadores da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e do Laboratório Central (Lacen-ES) está analisando amostras de esgoto do estado para identificar se há presença do novo coronavírus.

A informação foi divulgada pelo subsecretário de Vigilância Epidemiológica, Luiz Carlos Reblin, nesta segunda-feira (13).

De acordo com ele, o estudo é semelhante a levantamos já realizados em outros estados e ao redor do mundo.

“Estamos em fase de coleta e análise dos dados. É uma articulação entre a Subsecretaria de Vigilância em Saúde, o Lacen e a Universidade Federal. Assim que os resultados se confirmarem, e tivermos as primeiras avaliações, faremos as devidas comunicações à sociedade”, revelou, sem informar dados mais precisos sobre a divulgação dos resultados.

Uma nota técnica emitida pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia – Estações Sustentáveis de Tratamento de Esgoto (INCT – ETS Sustentáveis), explica que o monitoramento do esgoto para verificar presença do coronavírus é uma boa estratégia para detecção da doença ou infecção viral na população, inclusive na parcela que não a manifesta — portadores assintomáticos.

Recentemente, um estudo realizado pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) afirmou que partículas do novo coronavírus foram descobertas em duas amostras do esgoto de Florianópolis colhidas em 27 de novembro de 2019. O primeiro caso clínico da Covid-19 – infecção provocada pelo vírus – foi relatado no Brasil em janeiro deste ano.

Com informações de Any Cometti, G1ES


Leia mais

Leia também