Perícia aponta que motorista que atropelou e matou Amanda Marques estava a 135 km/h

Compartilhe

O carro que atingiu a moto onde estava a jovem Amanda Marques, de 20 anos, na noite do dia 17 de abril deste ano, na rodovia Darly Santos, em Vila Velha, trafegava a aproximadamente 135 km/h. Amanda não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

A conclusão sobre a velocidade do veículo, conduzido por Wagner Nunes de Paulo, de 28 anos, é do laudo pericial apresentado pela Polícia Civil à 4ª Vara Criminal de Vila Velha.

A perícia foi feita com base em imagens de videomonitoramento feitas por duas câmeras de segurança da região onde aconteceu o acidente. No local, a velocidade máxima permitida é 60 km/h.

Wagner foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MPES), por homicídio por dolo eventual e tentativa de homicídio por dolo eventual, com a qualificação de não oferecer possibilidade de defesa das vítimas. Além disso, foi autuado por dirigir sob influência de álcool.

A denúncia foi aceita pela Justiça e o rapaz, que continua preso preventivamente, é réu no processo.

A Polícia Civil já havia o indiciado pelos mesmos crimes, ao término do inquérito que apurou as circunstâncias do caso. As investigações foram conduzidas pela Delegacia de Delitos de Trânsito.

A embriaguez do motorista foi comprovada por meio de prova testemunhal, segundo informou a Polícia Civil sobre as investigações feitas pelo delegado Maurício Gonçalves. No dia do acidente, Wagner se recusou a fazer o teste de bafômetro.

Acidente na Darly Santos

Na noite de 17 de abril, o casal de namorados Matheus Silva e Amanda Marques voltava de motocicleta para casa, no bairro Divino Espírito Santo. Eles haviam visitado a mãe de Amanda, no bairro Jockey, e seguiam pela rodovia Darly Santos, na altura de Jardim Asteca, em Vila Velha, quando foram atingidos por um carro de passeio, dirigido por Wagner Nunes de Paulo.

A jovem de 20 anos estava na garupa da moto e morreu no local. Matheus foi encaminhado a um hospital da rede pública em Vitória em estado grave.

Ele teve alta após 10 dias e só soube da morte da namorada uma semana depois do acidente. Segundo a mãe do rapaz, ele ficou arrasado ao receber a notícia, que foi dada com o apoio de uma psicóloga.

Informações da Polícia Militar dão conta que a motocicleta estava na pista da direita da rodovia. O veículo dirigido por Nunes seguia pela mesma pista e bateu na traseira da moto.

Testemunhas afirmam que o carro estava em alta velocidade. Além disso, relataram que o condutor do veículo apresentava sinais de embriaguez e que tentou fugir do local.

Informações: Folha Vitória

Leia também

Dia do Orgulho LGBTQIA+: mãe pinta casa com cores do arco-íris para homenagear filho gay

  A mãe do ator Bruno Menegueli Fonseca, de 22 anos, a comerciante Adriana Menegueli Fonseca, resolveu pintar a...

Prefeitura de Barra de São Francisco abre espaço com computador para quem precisa fazer inscrição no Concurso Público

  A Prefeitura de Barra de São Francisco instalou esta semana, um computador no prédio do centro da cidade,...

Curso gratuito sobre o sistema financeiro está com inscrições abertas

A Escola Nacional de Defesa do Consumidor (ENDC) está com as inscrições abertas para o curso “É da...

Exército admite não conseguir detalhar armas nas mãos de atiradores e caçadores

RAQUEL LOPES BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Exército admitiu ser incapaz de produzir relatórios detalhados sobre os tipos...

Marco legal das garantias deve entrar na pauta do Senado em breve

Após aprovação na Câmara dos Deputados, o novo marco legal das garantias (PL 4188/2020) deve entrar na pauta...