Paulo Valiate Pimenta: atleta e defensor da Educação Física capixaba

Para finalizar a série sobre as personalidades homenageadas no Centro de Treinamento Jayme Navarro de Carvalho, localizado em Vitória, a Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport) traz, nesta quarta-feira (28), a história de Paulo Valiate Pimenta, atleta que intitula um dos ginásios poliesportivos do complexo.

Paulo Valiate Pimenta nasceu em Iconha, no dia 25 de janeiro de 1929. Veio para a Capital do Estado em 1934, quando ingressou no Colégio Americano Batista. Lá, participou de várias competições esportivas em diversas modalidades. Desde aquela época, uma de suas características mais marcantes era o uso de uma boina preta, que usava em todos os afazeres, incluindo nas atividades físicas.

Após concluir seu ensino básico, Paulo Pimenta entrou na Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), onde cursou Educação Física, com especialização em vôlei. Em seguida, foi para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde se especializou em futebol, passando, a partir dali, a ser chamado de “Professor Paulo Pimenta”, como é conhecido por muitos até os dias atuais.

Como atleta, Pimenta integrou o Clube Saldanha da Gama, pelo qual faturou 10 vezes o título capixaba de basquete, seis capixabas de vôlei, cinco de atletismo, além de outras conquistas. Em 1963, se tornou preparador físico e técnico. De início, trabalhou na Federação Universitária Capixaba de Esportes (Fuec). Mais tarde, treinou equipes de futebol como Desportiva, Rio Branco e Vitória.

Em 1971, foi convidado pelo então governador Arthur Gerhardt Santos para ser o Diretor do Departamento de Educação Física e Desportos (DED). Em 1978, já no Governo de Élcio Álvares, se tornou fundador, organizador e diretor superintendente da Federação de Esportes Amador do Espírito Santo (Feares). Em 1982, a Feares passou a se chamar Departamento de Esporte Amador e Recreação do Espírito Santo (Deares), órgão vinculado à Secretaria da Educação (Sedu), que mais tarde daria origem à Sesport.

“Quando saí (do Deares), deixei pronta uma lei que tornava obrigatória a pratica da Educação Física nas escolas. É dessa forma que o esporte é ensinado no primeiro mundo e que deveria ser ensinado aqui. Foi assim que aprendi”, recordou Pimenta, anos depois, durante entrevista ao jornalista Álvaro José Filho, em reportagem publicada no jornal Século Diário.

Além de atleta, preparador físico e técnico, atuou ainda como repórter de rádio e na Receita Estadual. O “Professor Paulo Pimenta” nos deixou no dia 17 de março de 2014, aos 85 anos, em decorrência de uma infecção no fígado. Seu legado, porém, segue vivo até hoje. 


Leia mais

Leia também