Paulistão recomeça quente nesta quarta com dérbi entre Corinthians e Palmeiras

O Campeonato Paulista volta nesta quarta-feira após 128 dias de espera. A duas rodadas do fim da primeira fase, o torneio recomeça após quatro meses de paralisação por causa da pandemia do novo coronavírus. E com um dérbi logo de cara: Corinthians e Palmeiras se enfrentam em Itaquera, às 21h30 (de Brasília).

Muita coisa mudou desde o Guarani 3 x 2 Ponte Preta do já distante 16 de março, último jogo antes da pausa. A começar pelo protocolo para o retorno dos jogos, que não terão a presença de público, e a restrição das cidades que vão receber as partidas.

Há também chegadas, saídas e novas perspectivas para o período de bola rolando. O GloboEsporte.com lista abaixo dez coisas que você precisa saber sobre a volta do Paulistão:

O Paulistão tem mais seis datas: dois jogos da primeira fase, quartas de final, semifinal e duas finais. Tudo isso entre 22 de julho e 8 de agosto, data marcada para a grande decisão. O Campeonato Brasileiro, porém, tem início programado para o dia 9. Se um clube da Série A chegar à final, ajustes terão de ser feitos no calendário.

De resto, tudo mantido: inclusive o rebaixamento. Dos 16 clubes, só o Botafogo foi contra a manutenção.

O tal protocolo

O documento elaborado pela Federação Paulista de Futebol (FPF) para o retorno dos jogos do Campeonato Paulista inclui, entre outras medidas, a realização de testes para Covid-19 em todos os envolvidos nas partidas e a divisão dos estádios em “zonas”, de acordo com a permissão de acesso.

Os estádios nos jogos do Paulistão serão divididos em três zonas: azul, vermelha e amarela, sendo que a azul é a mais próxima do campo de jogo, e a amarela a mais distante. No total, serão menos de 200 profissionais credenciados.

Máscaras obrigatórias na comissão técnica e banco de reservas e proibição de troca de camisas entre adversários são outras medidas. Veja aqui mais detalhes do protocolo.

Interior vai à capital

Em meio à retomada, o Paulistão não terá jogos em cidades que estejam na fase vermelha ou laranja do plano de flexibilização da quarentena no estado de São Paulo. Na fase amarela, apenas São Paulo (Corinthians, Palmeiras e São Paulo), Diadema (Água Santa), Barueri (Oeste) e Santos poderão receber as partidas.

Isso significa que os times do interior terão de mandar jogos em uma dessas cidades, o que deixou a tabela com duelos inusitados em grandes estádios. Veja alguns exemplos:

22/7 – Ituano x Ferroviária (Canindé)
23/7 – Inter de Limeira x Oeste (Arena Corinthians)
26/7 – Ferroviária x Inter de Limeira (Morumbi)
26/7 – Guarani x São Paulo (Vila Belmiro)
26/7 – Novorizontino x Santos (Arena Corinthians)

Paulistão recomeça quente nesta quarta com dérbi entre Corinthians e Palmeiras

Paulistão volta nesta quarta-feira com muitas mudanças: quem leva a taça? (Foto: GloboEsporte.com)

Leia mais

Nova Venécia registra terceira morte por Covid-19

Por Jhon Martins, redenoticiaes O município de Nova Venécia registrou na manhã desta terça-feira (09), a terceira morte por Covid-19. Trata-se do publicitário e fotógrafo Marcos Henrique...

Governo do ES entrega obra de contenção de encosta e barreira do Morro do Cristo

O Governo do Estado, por meio do Departamento de Edificações e de Rodovias do Espírito Santo...

Vacina contra a Covid-19 começa a ser testada em voluntários de cinco estados e do DF

O Instituto Butantan deu início ao cadastro dos profissionais de saúde interessados em participar da terceira de testes da vacina contra a Covid-19 que está...

Leia também

Rússia anuncia primeira vacina contra o coronavírus

O presidente Vladimir Putin anunciou nesta terça-feira (11)...

Motociclista fica ferido após sofrer acidente no bairro São Francisco, em Nova Venécia

Um motociclista ficou ferido após bater na traseira...

Cerca de 330 abrigos de idosos já receberam doações de alimentos e kits de higiene

As ILPIs já beneficiadas representam 67% dos abrigos cadastrados na primeira etapa da Campanha Foto: Banco de Imagens Um total de 335 Instituições de Longa...

Governo autoriza R$ 1,5 bi para assistência social por meio de reprogramação e transposição de recursos de anos anteriores

A população atendida por programas de assistência social terá um reforço durante a pandemia do novo coronavírus. Na última semana de julho, foi sancionada...