Parlamentares do Japão rejeitam moção de desconfiança contra governo


TÓQUIO (Reuters) – A câmara baixa do Parlamento do Japão rejeitou nesta terça-feira uma moção de desconfiança contra o gabinete do primeiro-ministro Yoshihide Suga proposta por partidos da oposição irritados com a recusa do premiê de prorrogar o prazo da atual sessão legislativa.

Esses partidos queriam uma prorrogação de três meses da sessão para além do fim previsto dela na quarta-feira, para combater a pandemia de Covid-19 no Japão, num momento em que o país tenta apressar as vacinações antes da abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, marcada para o dia 23 de julho.

“Eles estão rejeitando nossos pedidos de prorrogar o Parlamento diante da pior crise em décadas”, disse Yukio Edano, líder do Partido Democrático Constitucional, o maior da oposição, à câmara baixa antes da votação.

Embora o Japão não tenha sido tão impactado pela pandemia como outros países, a lentidão da vacinação de seus cidadãos e a resposta ao coronavírus reduziram o apoio a Suga.

Uma pesquisa da emissora pública de TV NHK mostrou aprovação de 37% ao governo Suga e desaprovação de 45%.

É a maior taxa de desaprovação desde que o premiê assumiu em setembro do ano passado, mas a maioria que seu Partido Liberal Democrata e parceiros de sua coalizão têm no Parlamento significa que é improvável a aprovação de qualquer moção de desconfiança contra seu governo.

(Reportagem de Elaine Lies)

Primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga

Primeiro-ministro do Japão, Yoshihide Suga (Foto: Andrew Parsons / Nº 10 Downing Street)

Leia mais

Leia também