Paralisação: Rodoviários de Guarapari protestam e deixam população sem ônibus

Compartilhe

O dia começou complicado para quem depende do transporte público em Guarapari. Nesta quinta-feira (22), funcionários da Expresso Lorenzutti, responsável pela concessão do transporte municipal e a única empresa do município, paralisaram 100% as atividades e fizeram um protesto em frente à garagem.

O motivo da manifestação, segundo eles, é que a empresa não está realizando o pagamento em dia. Eles afirmam que o último pagamento foi feito no dia 10 abril (sábado), mas apenas 46% do valor foi recebido. Além disso, era previsto para o último dia 20 o pagamento do ticket alimentação, que também não foi  efetuado.

Segundo o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Guarapari (Sintrovig-ES), Wanderley Gonçalves, também conhecido como ‘Sabugo’, outros pagamentos estariam previstos para o decorrer desta semana.  Ele também frisou que, além demora no pagamento nos salários, cada funcionário possui, em atraso, cerca de mil reais em ticket alimentação.

Em nota, a empresa disse que repudia a forma que a manifestação foi feita, sem aviso prévio aos usuários do sistema de transporte público, e esclarece que os atrasos salariais são em virtudes do agravamento da crise financeira a qual a empresa enfrenta.

“Em virtude de todos esses fatos e, principalmente, da paralisação do transporte público municipal determinado pelo Governo Estadual por mais de 17 dias, a receita atualmente auferida não tem sido suficiente para cobrir os custos mínimos para operação do sistema de transporte” escreveu a empresa em nota.

Além disso, a empresa Expresso Lorenzutti informou que realizou o pagamento da terceira parcela referente ao acordo firmado com a categoria de forma integral, além de ter efetuado o pagamento de 50% do salário dos funcionários, no montante aproximado de R$ 200 mil no último dia 10 de abril de 2021.

A empresa informou também que foi realizada uma reunião com os funcionários, na qual se propôs a pagar R$ 200,00 e o ticket alimentação. O valor seria arrecadado entre os dias 19 até o dia 23 de abril.

Por fim, disse que com a paralisação não é possível prevê a data do acerto financeiro aos funcionários, já que o dinheiro arrecadado seria das viagens realizadas pelo transporte.

Informações: Folha Vitória

Leia também

Palestra sobre Arqueologia e Patrimônio Cultural para estudantes de Barra de São Francisco

A Arquideolica Eliany da Salvia, realizou atividades de educação patrimonial no último dia 10/05, com os alunos da...

Espírito Santo deverá ter frio intenso na próxima semana devido à massa de ar de origem polar

O frio intenso previsto para a próxima semana em grande parte do Brasil está associado à passagem de...

Audiência Pública da pavimentação da ES-320 entre Bara de São Francisco e Mantenópolis deve acontecer na primeira quinzena de junho

A audiência pública para debater os impactos das obras de pavimentação da ES-320 entre Barra de São Francisco...

Mulher morre em capotamento de carro na BR-259, em Baixo Guandu

  Por Fabiana Oliveira, g1 ES Uma mulher de 35 anos morreu depois que o carro em que estava capotou...

MERCOSUL: Comissão do Congresso aprova acordo sobre facilitação do comércio

A Comissão da Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul) aprovou, nesta terça-feira (17), o texto do Acordo...

Jaguaré inicia uso de revsol nas estradas rurais

  Um dos pontos mais críticos em dias de chuva, o morro da Comunidade São Geraldo está sendo preparado...