Pandemia: novo decreto limita funcionamento de bares e restaurantes em Guarapari

A Prefeitura de Guarapari anunciou, nesta segunda-feira (21), novas diretrizes de combate à pandemia do novo coronavírus no município. Entre as medidas anunciadas pela prefeitura, está a limitação do horário de funcionamento de bares, quiosques e restaurantes, tanto no meio quanto nos fins de semana. Também está vetada a permanência de tendas e vendedores ambulantes nas praias, durante o Réveillon, assim como a queima de fogos.

O anúncio das novas regras ocorreu durante uma coletiva de imprensa, na tarde desta segunda-feira, após uma reunião do Comitê Covid-19, da prefeitura. O decreto com as novas medidas deverá ser publicado no Diário Oficial do município nesta terça-feira (22), quando as novas regras passarão a valer.

A vigência das novas medidas segue até o dia 4 de janeiro, mas o prazo pode ser prorrogado, segundo o secretário de Postura e Trânsito do município, Luiz Carlos Cardoso Filho. Segundo a prefeitura, multas serão aplicadas caso as regras sejam violadas. Os valores serão divulgados junto ao decreto.

As mudanças foram anunciadas justamente no primeiro dia do Verão, época em que a cidade recebe a maior quantidade de turistas. Na semana passada, a Justiça determinou  liminarmente, a suspensão imediata de um decreto municipal com diversas flexibilizacões destinadas a estabelecimentos, restaurantes e similares, centros comerciais, feiras livres, atividades esportivas, quiosques, praias e turistas.

Sobre o funcionamento de bares, quiosques e restaurantes, o novo decreto prevê que esses estabelecimentos podem funcionar até as 22 horas, de segunda a sábado, e no domingo, até as 16 horas. Lojas e centros não terão alterações nas restrições.

Além disso, continuam proibidos shows, feiras sazonais e qualquer tipo de eventos. De acordo com o novo decreto, parques de diversões também não terão autorização para funcionamento e devem suspender as atividades.

Luiz Carlos Cardoso Filho também alertou quanto à permanência nas praias do município. “Não há restrição. A gente só pede que as pessoas evitem aglomerações e se previnam quanto ao isolamento umas das outras, principalmente fora do seu grupo familiar. É uma questão de bom senso. Esperamos que as pessoas se atentem a isso”, frisou.

A Drª. Ida Lucia Franchim, médica da Vigilância Epidemiológica de Guarapari, ressaltou o significativo aumento do número de casos de covid-19 no município, que atualmente se encontra no risco moderado para a doença.

“Nos últimos dias, nós tivemos um número de aproximadamente 700 casos confirmados. Temos 31 casos de pacientes hospitalizados, a maioria em UTI’s, e tivemos um total de 159 óbitos pela covid em Guarapari”, destacou.

Já a secretária municipal de Saúde, Alessandra Albani, relatou que, em seis dias, o número de atendimentos do ambulatório de síndromes respiratórias de Guarapari subiu de 300 para 1,2 mil pacientes, o que representa um aumento de mais de 300% no número de casos atendidos.

“A preocupação maior é que o Estado não tem condições de disponibilizar leitos para atender essa demanda se os municípios não tiverem uma postura mais restritiva. Devido a isso, o Comitê se reuniu e definiu medidas para conter a velocidade de transmissão do vírus”, explicou.

Informações: Folha Vitória

Leia mais

Leia também