Pandemia no Brasil vive expansão e vai na contramão do mundo, alerta OMS


– A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou nesta quarta-feira (23) dados apontando que novos casos e mortes por Covid-19 sofreram uma queda importante de 14 a 20 de junho, mas a pandemia continua forte no Brasil. De acordo com o levantamento, houve redução de 6% no número de infectados no mundo, para um total de 2,5 milhões de infectados. As mortes caíram em 12%, para 64 mil. As taxas são as mais baixas desde fevereiro. A OMS alertou, no entanto, que a mortalidade continua alta, com mais de 9 mil óbitos por dia no planeta. No caso do Brasil, o país registrou um salto de 11% no número de novos infectados, para um total de 505 mil.

Segundo informações publicadas pela coluna de Jamil Chade, no portal Uol, os números no país são equivalentes a tudo o que o continente africano e a Europa registraram oficialmente em sete dias. Foram 14,2 mil óbitos na semana, um aumento de 7% em comparação à semana anterior no país.

Na plataforma Worldometers, que disponibiliza dados globais sobre a pandemia, o Brasil registrou, até esta quarta, a terceira maior quantidade de infectados pela Covid-19 (18 milhões), atrás da Índia (30 milhões) e Estados Unidos (34,4 milhões). O país também contabilizou o segundo maior número de óbitos causados pela pandemia (504 mil), atrás dos EUA (617 mil). O governo indiano identificou o terceiro contingente mais alto de mortes provocadas pela doença (390 mil).

No documento desta quarta, a OMS também verificou uma queda de 30% na incidência na Índia, que deixou de liderar o ranking de locais com maior número de novos infectados. Na semana, o país asiático registrou 441 mil casos. Mas especialistas disseram que a subnotificação no território indiano seria generalizada e que os números oficiais não mais refletem a realidade.