Pandemia faz número de casamentos cair pela metade no Brasil

O isolamento social, causado pela pandemia do novo coronavírus, foi o principal responsável pela queda de 48% do número de casamentos no Brasil, nos meses de março, abril e maio.

Segundo os dados da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen Brasil), a maior queda, de 62%, foi registrada no mês de abril, quando os cartórios realizaram 24.976 registros, ante os 65.242 do mesmo mês do ano passado.

Em maio, tradicional mês das noivas, houve 33.543 registros, uma redução de 58% em relação ao mesmo período de 2019, quando foram realizados 79.685 casamentos.

Com o isolamento social, a designer de moda Ingrid Hervatin, de 24 anos, teve de adiar duas vezes seu casamento. Ela conta que estava tudo pronto para a cerimônia ser realizada no dia 25 de abril, quando saiu o decreto proibindo realização de festas.

Após conseguir encaixar uma nova data com fornecedores, em 18 de julho, e de refazer os convites, ela descobriu que na igreja só seria permitida a entrada dos noivos e de duas testemunhas.

“Apenas a partir de 31 de julho, deverá ser permitida a realização de cerimônias nas igrejas. Tive que mudar novamente. Mas já parei de chorar e me conformei”, conclui. Com tudo isso, ela só conseguiu remarcar para fevereiro do ano que vem.

Apesar de muitos casais terem adiado a troca de alianças, os casamentos não pararam durante a pandemia. Classificados como serviço essencial, os cartórios de registro civil permaneceram abertos, mas com novas regras e medidas de segurança para evitar o contágio da covid-19.

“As cerimônias têm sido realizadas seguindo todas as normas de higiene e segurança recomendadas por organizações sanitárias. Apenas os noivos e as duas testemunhas previstas em lei podem participar”, explica Andreia Gagliardi, diretora da Arpen-SP (Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo).

Além disso, todos os participantes devem estar com máscaras e o álcool em gel 70% fica à disposição para que todos possam fazer a higienização das mãos na troca de alianças ou na hora de pegar a caneta ao assinar o registro.

“Nossa expectativa é que, tão logo a crise sanitária seja solucionada, possamos receber todos os casais que optaram por aguardar pela normalização e garantir que as celebrações sejam efetivadas”, afirma a diretora da Arpen-SP.

Enquanto isso, noivos têm se adaptado à nova situação em meio à pandemia. Recentemente, a atriz Bárbara Evans oficializou a união com o empresário Gustavo Theodoro em um casamento civil que contou apenas com a presença das duas testemunhas e com transmissão pelo perfil no Instagram.

Fonte: R7

Leia mais

Leia também