País desperdiça cerca de 22% do PIB por ano com o Custo Brasil

Todos os anos, o Brasil desperdiça cerca de R$ 1,5 trilhão com o Custo Brasil, valor equivalente a aproximadamente 22% do Produto Interno Bruto (PIB). É o que aponta um levantamento feito pelo Ministério da Economia, em parceria com o setor privado. Esse valor é referente à despesa adicional com itens como burocracia, infraestrutura precária e insegurança jurídica ou regulatória.

O Custo Brasil faz referência abrangente a diversos fatores que têm influência negativa no ambiente empresarial brasileiro, entre elas, por exemplo, questões institucionais e tributárias. O estudo para elaboração do projeto considerou 12 itens, entre eles abrir um negócio, financiamento, empregar capital humano, pagamento de tributos, infraestrutura e ambiente jurídico e regulatório eficaz.

A pesquisa ainda considerou fatores do entorno institucional e macroeconômico que têm influência no Custo Brasil, como serviços públicos essenciais e de qualidade, equidade e inclusão econômica, estabilidade monetária, equilíbrio fiscal e balanço de pagamento equilibrado. 

Economia nacional deve retrair 4,2% em 2020 e especialistas atribuem a queda ao período de transição do setor

Necessidade estimula empreendedorismo para geração de renda e emprego no pós-pandemia

Para 41% dos brasileiros produtividade aumentou com teletrabalho, aponta pesquisa

Para o responsável pelo projeto do Ministério da Economia, Jorge Luiz de Lima, a falta de conhecimento mútuo dos setores público e privado é um dos fatores que impulsionam o Custo Brasil. “Do mesmo jeito que o setor produtivo pouco conhece de governo, o inverso também é verdade. Travaram tanto a máquina administrativa que ninguém lá dentro consegue sair. Imagina que a pessoas que estão fazendo marcos regulatórios das leis não conhecem o Brasil, não conhecem o setor produtivo. Ditam a norma sem conhecer”, opina. 

Segundo Jorge de Lima, todos os estados brasileiros devem ser incluídos no projeto, respeitando as particularidades de cada região. “Temos que fazer o Custo Brasil de ponta a ponta (do País). É a única chance de enxergar o Brasil como um todo. Precisamos olhar o Brasil como se cada unidade federativa fosse um país diferente. Este é um projeto de país, e não de governo: se o setor produtivo se movimentar esse projeto sai do papel e construiremos um país muito mais competitivo”, afirma. 

Para o presidente da Federação das Indústrias de Mato Grosso (Fiemt), Gustavo de Oliveira, há urgência em mudanças estruturais no setor público. “Basicamente, um quarto da nossa riqueza é destruída em ineficiência. A busca de solução para esse problema é um dos assuntos mais importantes para os empresários”, diz. “Temos urgência em mudanças estruturais no setor público, é preciso reduzir burocracia e simplificar processos para que tenhamos condições de competitividade com nossos concorrentes que têm situações muito mais avançadas mundo afora”, completa. 

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Leia mais

“Lagartixa” sofre queda de bicicleta e é transferido para São Mateus

Lucas Paschoal Brandão, popularmente conhecido como “Lagartixa”, sofreu uma queda de bicicleta na tarde deste sábado (05), na Avenida Guanabara, em Nova Venécia. Segundo informações,...

PSD confirma Elias Dal’Col como candidato à reeleição em Ecoporanga

O PSD de Ecoporanga realizou na noite de sábado, 05 de agosto, na quadra da Escola Viva de Ecoporanga, a convenção partidária que homologou...

Grave acidente na rodovia Nova Venécia a Vila Pavão deixa três feridos

Um grave acidente envolvendo um Ford Fusion de cor prata e um Golf de cor branca, ocorrido na tarde deste domingo (12/07/2020), na Rodovia...

Previsão de granizo, tempestade e vendaval para nove cidades do ES

As cidades de Alegre, Apiacá, Bom Jesus do...

Leia também

Polícia Militar recupera motocicletas com restrições em Nova Venécia e Pinheiros

Nesta quarta-feira (02), policiais militares do 2º Batalhão recuperaram duas motocicletas com restrição de furto/roubo nos municípios de Nova Venécia e Pinheiros. Na ocasião,...

Duas iniciativas da Sefaz são finalistas no Prêmio Inoves 2020

Duas iniciativas propostas pela...