Operador da Core participa de formação realizada pelo Batalhão de Missões Especiais da PMES

Compartilhe

Um Operador da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES), concluiu, na última quarta-feira (13), o curso de formação para ingresso no Batalhão de Missões Especiais (BME), da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES), que teve início em 28 de março e durou cerca de 21 dias. Foi a primeira vez que um policial civil participou da formação dos alunos do BME.

Giulliano Moraes Sacramento, de 39 anos, policial aprovado no estágio, ingressou na Polícia Civil em 25 de fevereiro de 2010 e atua na Core desde 2019. “Foi uma experiência única participar de uma formação que exige o seu máximo e oferece excelência pelo corpo de instrutores, além de ser muito importante para sua atuação no combate à criminalidade”, disse.

Para o delegado-geral da Polícia Civil do Espírito Santo, José Darcy Arruda, a integração das forças policiais é de extrema importância e vem sendo reforçada. “Recentemente o time tático do BME esteve na Polícia Civil para participar de Curso ministrado pela Core do Rio de Janeiro e queremos intensificar esse entrosamento dos times táticos das forças policiais. Parabenizamos o policial civil por esse feito inédito de ter concluído o curso de formação do Batalhão de Missões Especiais”, disse.

O curso realizado é o estágio básico para ingresso no Batalhão de Missões Especiais (BME) e tem como objetivo nivelar todos os policiais que operam no Grupamento Especial a fim de utilizarem o mesmo procedimento, aumentando, assim, a eficácia das ações.

Entre as técnicas estão as instruções de Sobrevivência Policial e Tiro Tático, que foi ministrada pelo operador da Core, agente Rodrigo Menezes, e o Atendimento Pré-Hospitalar (AHP) em Combate, que foi instruído pelo operador da Core, agente Roberto Alves Silveira Martins. 

“O compartilhamento das técnicas utilizadas e alinhamento das ações com um grupamento especializado altamente capacitado e atuante no Estado é muito importante para aumentar a expertise do operador no atendimento não convencional”, pontuou Rodrigo Menezes.

“Agrademos ao tenente coronel Rogério, comandante do Batalhão de Missões Especiais, por ter ofertado uma vaga no curso para o nosso policial civil”, disse o delegado Ricardo Oliveira, titular da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core).

Texto:  Adriana Nascimento Amaral –  Seção de Imprensa e Comunicação Interna (Sicoi)

Leia também

Brasil tem o primeiro plano nacional de políticas sobre o uso e o combate às drogas

O Brasil passa a contar, a partir de hoje, com o primeiro Plano Nacional de Políticas sobre Drogas...

André Moura fará show deste sábado na Feira Gastronômica e Artesanal

Em pouco mais de dois meses a Feira Gastronômica e Artesanal, promovida pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico,...

AUXÍLIO BRASIL: Confira calendário dos novos grupos que recebem o benefício

Nesta semana, os grupos com Número de Inscrição Social (NIS) de finais de 4 a 8 recebem o...

Corpo de idosa que sumiu após sair de missa é encontrado boiando em rio no Espírito Santo

Foi encontrado na tarde de sábado (21) em um rio em uma região de mata próximo ao limite...

Prefeitura conclui construção de calçada em frente a prédio abandonado no centro de Barra de São Francisco

A Secretaria Municipal de Obras e Urbanismo, com apoio da Secretaria Municipal de Serviços e Limpeza Pública concluiu...

Abertura total do mercado livre de energia pode injetar R$ 210 bi na economia e gerar 642 mil empregos até 2035

As famílias com renda mediana (pouco mais de um salário mínimo) comprometem 4% do orçamento com energia elétrica,...