Operação Verde Brasil 2 previne crimes ambientais na Amazônia Legal

Compartilhe

Operação Verde Brasil 2 previne crimes ambientais na Amazônia Legal

Militares e agentes da Operação atuam, a princípio, em Rondônia, Mato Grosso e Pará.
– Foto:
Forças Armadas

A Operação Verde Brasil 2 completou uma semana de ativação nesta segunda-feira (18). Há sete dias, militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica trabalham na repressão e prevenção de crimes ambientais na Amazônia Legal. Organizados em três Comandos Conjuntos e no Comando de Operações Aeroespaciais (Comae), os militares e agentes da Operação atuam, a princípio, na Floresta Nacional de Jacundá, em Rondônia, na Estação Ecológica Estadual da região do Rio Rinuro, em Mato Grosso, e no Assentamento Federal Vila União, no Pará.

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, em 11 de maio de 2020, visa a ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal. A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341 e tem validade até 10 de junho.

Nos estados do Acre e de Rondônia, o Comando Conjunto Príncipe da Beira concluiu as ações contra delitos ambientais na Unidade de Gestão Ambiental Integrada (Ugai) Afluente, em Manuel Urbano (AC), e na região de Vila Samuel, em Candeias do Jamari (RO). As atividades resultaram na apreensão de madeira irregular, equipamentos, armamento e munição. Participaram das ações militares do Comando de Fronteira Acre/4º Batalhão de Infantaria de Selva e da 17ª Companhia de Infantaria de Selva, agentes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), da Polícia Militar Ambiental, do Departamento de Estradas de Rodagem (DER) e da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Ambiental de Rondônia (Sedam). Em outras localidades, a Operação continua.

No Pará, o Comando Conjunto Soares de Andrea, por meio da 23ª Companhia de Comunicações de Selva conscientizou a população quanto à importância da preservação do meio ambiente. O Comando também apoiou órgãos de segurança pública e fez reconhecimento aéreo, a bordo da aeronave UH-15 Super Cougar, da Marinha, e terrestre, em rodovias do estado. Na malha fluvial, militares da Marinha inspecionaram embarcações.

Após estabelecer bases em diversas localidades de Mato Grosso, o Comando Conjunto Barão de Melgaço realiza patrulhamento terrestre e opera postos de bloqueio e controle de estradas para vistoriar veículos. Os militares também patrulham os rios do estado, com verificação de embarcações. Além da apreensão de madeira extraída ilegalmente, foram apreendidas drogas ilícitas durante as ações de patrulhamento.

Leia também

Câmara aprova Plano Nacional do Esporte

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (28) o projeto de lei que cria o Plano Nacional do...

Conta de água e esgoto vai ficar mais cara a partir de agosto no Espírito Santo

A Agência de Regulação dos Serviços Públicos (ARSP) do Espírito Santo publicou, nesta quinta-feira (30), no Diário Oficial,...

Corinthians fica no 0 a 0 com o Boca Juniors pela Libertadores

O Corinthians empatou sem gols com o Boca Juniors (Argentina), nesta terça-feira (28) na Neo Química Arena, em...

Alerta de perigo potencial: temperaturas no ES podem cair entre 3ºC e 5ºC

  O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), emitiu um alerta para declínio de temperatura em quase todo o Espírito...

Gestores Municipais que receberam as vacinas

Oi, gente, aqui é a Karina, e hoje tem mais um episódio do nosso podcast. O tema é...

ES: vítima de acidente na BR-101 seguia para casa e iria comemorar aniversário da namorada

O aniversário de Paula Barbosa não será mais o mesmo. A jovem de 24 anos esperava pelo namorado...