Operação da Polícia Federal investiga fraude em benefício do INSS no Espírito Santo

Agentes cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em Montanha, Mucurici e Nanuque.

Delegacia da PF em São Mateus

Delegacia da PF em São Mateus

A Polícia Federal realizou, nesta quinta-feira (25), a Operação Hydra, com o objetivo de desarticular um esquema montado para obtenção fraudulenta do Benefício de Prestação Continuada (BPC), concedido a idosos com mais de 65 anos.

Segundo a PF, 23 policiais participaram da ação e cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em Montanha e Mucurici, no Espírito Santo, e em Nanuque, em Minas Gerais. Ninguém foi preso.

De acordo com as investigações da PF, o esquema consistia em “produzir” documentos de pessoas com mais de 65 anos para que idosos envolvidos na fraude, se passando por esses idosos fictícios, comparecessem ao INSS e requeressem os benefícios assistenciais.

Ainda segundo a PF, a investigação teve início em setembro de 2019 e revelou que a fraude vem ocorrendo, ao menos, desde 2013, o que pode ter gerado um prejuízo aos cofres públicos de mais de R$ 1 milhão.

O nome da operação se refere à Hydra de Lerna, monstro da mitologia grega que possuía várias cabeças, assim, como faziam os investigados, “criando” vários falsos idosos.

Os envolvidos são investigados pelas práticas de vários crimes de estelionato majorado e lavagem de dinheiro, cujas penas totais ultrapassam os 15 anos de prisão.

 

Leia mais

Leia também