Operação da PF contra pornografia infantil prende uma pessoa no Espírito Santo

Segundo a PF, após varredura nos dispositivos eletrônicos de armazenamento encontrados no imóvel do investigado, foram localizados diversos arquivos de vídeos e imagens de pornografia infantil.

Foram localizados diversos arquivos de vídeos e imagens de pornografia infantil — Foto: Divulgação/Polícia Federal
Foram localizados diversos arquivos de vídeos e imagens de pornografia infantil — Foto: Divulgação/Polícia Federal

 

A Polícia Federal realizou na manhã desta terça-feira (15) a terceira fase da Operação Interrupção, com o objetivo de combater a difusão de imagens e vídeos contendo exploração sexual de crianças e adolescentes através da internet no Espírito Santo. Uma pessoa foi presa.

A operação contou com a participação de cinco policiais, sendo realizado o cumprimento de um mandado de busca e apreensão na casa de um investigado em Cachoeiro de Itapemirim. A PF não divulgou o nome do investigado.

Segundo a PF, após varredura nos dispositivos eletrônicos de armazenamento encontrados no imóvel do investigado, foram localizados diversos arquivos de vídeos e imagens de pornografia infantil. Por conta disso, o investigado foi preso em flagrante.

Ainda de acordo com a polícia, o suspeito foi encaminhado até Delegacia de Polícia Federal em Cachoeiro de Itapemirim para lavratura de auto de prisão em flagrante, com posterior arbitramento de fiança.

A PF informou que inquérito policial foi instaurado a partir de técnicas policiais de vigilância na internet, sendo verificado que o investigado baixava e compartilhava arquivos de pornografia infanto-juvenil.

No cumprimento do mandado de busca, foram apreendidas diversas mídias e equipamentos eletrônicos dos investigados, que serão agora submetidos à perícia para elaboração de laudo com o fim de identificar os arquivos desta natureza armazenados e compartilhados, se existe algum indicativo de abuso sexual e se existem outros suspeitos praticando o delito.

Segundo a PF, o investigado responderá pelo crime de compartilhamento de arquivos contendo pornografia infanto-juvenil e poderá ainda responder pelo crime de posse de arquivos, caso a perícia encontre arquivos dessa natureza armazenados.

A primeira fase da Operação Interrupção aconteceu em outubro deste ano prendeu um homem em Vitória. Na segunda fase, realizada na última semana, mais duas pessoas foram presas.

 

Leia mais

Leia também