ONU condena embargo dos EUA a Cuba e Brasil se acovarda e se abstém


A Organização das Nações Unidas (ONU) condenou, pela 29ª vez, o embargo dos Estados Unidos contra Cuba, imposto há quase seis décadas. 

Foram 184 votos contra dois. Apenas Israel e EUA votaram contra. Brasil, contrariando o histórico de apoio a Cuba na ONU, Ucrânia e Colômbia se abstiveram. 

O voto de condenação ao embargo americano ocorre anualmente desde 1992. Historicamente, o Brasil votava contra.

Em discurso presencial na Assembleia Geral, o chanceler cubano Bruno Roríguez Padilla comparou o embargo à pandemia da Covid-19: “Assim como o vírus, o bloqueio sufoca e mata, e deve acabar. Pátria ou morte! Venceremos!”. (Com informações do Granma).


Leia mais

Leia também