ÔnibusGV lança opção para denunciar ausência do uso de máscara no Transcol

Começou nessa segunda-feira (11) a obrigatoriedade do uso de máscara para passageiros do transporte coletivo da Região Metropolitana (Transcol). Com isso, uma nova atualização do aplicativo ÔnibusGV traz uma opção para denunciar o não uso de máscara nos coletivos.

“Temos pedido a colaboração de todos no combate ao novo Coronavírus e no transporte público não é diferente. Ao fazer a denúncia no aplicativo, o cidadão vai nos auxiliar com informações para que possamos identificar e realizar ações pontuais para que o uso da máscara no transporte seja respeitado, como fiscalização, ações de conscientização ou até mesmo distribuição de máscaras nas linhas e horários com mais denúncias”, explicou o secretário de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno.

Para acessar a opção, basta baixar e instalar a atualização mais recente do aplicativo (disponível apenas para Android, por enquanto).

Também na segunda-feira (11), todos os coletivos do Transcol passaram a circular com a mensagem “Use Máscara” no letreiro para reforçar a importância do uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI) sempre que for necessários sair casa, inclusive ao utilizar o transporte coletivo.

E-book com dicas de prevenção

Quem utiliza o aplicativo ÔnibusGV também já pode fazer download de um e-book com informações sobre prevenção e cuidados para evitar o contágio pelo novo Coronavírus (Covid-19). O e-book está disponível para download assim que o aplicativo Ônibus GV é aberto. Nele estão todas as informações sobre a doença como: o que é o Coronavírus, como acontece o contágio, quais os principais sintomas, quem corre mais riscos, quando se deve procurar um atendimento, e ressalta as medidas de prevenção que devem ser adotadas por cada um. Além disso, o informativo traz os cuidados que devem ser tomados para higiene e conservação das máscaras.

O Sistema Transcol vem adotando uma série de medidas para diminuir o risco de contágio no transporte coletivo desde o início das restrições de circulação em decorrência da pandemia. Entre elas estão o reforço na higienização dos coletivos com hipoclorito de sódio diluído, conforme orientações da Secretaria da Saúde (Sesa); reforço na limpeza dos terminais e disponibilização de sabonete nos banheiros, afastamento de colaboradores do sistema com mais de 60 anos, com comorbidades ou com sintomas gripais; retirada dos veículos com ar-condicionado de circulação; superdimensionamento da operação para garantir o transporte, minimizando o risco de contaminação; recomendação para que passageiros embarquem somente em veículos com assentos disponíveis; marcação das filas nos terminais e recomendação aos passageiros para manutenção do distanciamento mínimo de 1,5 metro, além da distribuição de álcool em gel e máscaras para os trabalhadores do sistema; e distribuição de máscaras para passageiros nos terminais.

Leia mais

Leia também