ONG denuncia que governo colombiano realizou cerca de 3 mil ações repressivas durante greve nacional


A ONG Temblores atualizou nesta sexta-feira (21), seus números de violações de direitos humanos ocorridas durante a greve nacional contra o governo colombiano e disse que há quase três mil denúncias de abusos policiais. A entidade documentou a realização de cerca de 3 mil ações de abuso policial na Colômbia durante a greve nacional das últimas semanas. Foram identificados 43 homicídios supostamente cometidos por membros da Força Pública e 39 vítimas de agressões oculares.

A ONG revelou que 2.905 casos de violência por parte da Força Pública (não incluindo desaparecimentos) foram registrados em sua plataforma GRITA desde o dia 28 de abril até o dia 21 de maio.

Nestes casos, foram identificados: 855 vítimas de violência física; 43 homicídios supostamente cometidos por membros da Força Pública; 1.264 prisões arbitrárias contra manifestantes e 575 intervenções violentas no âmbito de protestos pacíficos.

Além disso, 39 vítimas de ataques oculares; 153 casos de disparos de armas de fogo; 21 vítimas de violência sexual e seis vítimas de violência de gênero.

Nesse contexto, Temblores publicou uma carta aberta dirigida ao Presidente da Colômbia, Iván Duque, na qual levantou diversos pontos, inclusive permitindo a visita da Comissão Interamericana de Direitos Humanos.

Além disso, a entidade reafirma o direito constitucional “ao protesto social, bem como o dever do Estado de prevenir os usos irregulares e desproporcionais da força pública, investigá-los e puni-los com todas as garantias de independência judicial”, informa a Telesul.

(Foto: REUTERS/Luisa Gonzalez)

Leia mais

Leia também