Omar Aziz foi “leviano, desprezível e irresponsável”, diz militares após ataques do senador

Durante sessão da CPI da Covid-19, desta quarta-feira (7), o presidente do colegiado, senador Omar Aziz (PSD-AM), fez ataques aos militares que compõem o governo e a fala foi amplamente condenada pelas Forças Armadas.

Em nota, o ministro da Defesa, Walter Souza Braga Neto, repudiou os ataques de Aziz e afirmou que o senador foi leviano, desprezível, hediondo e irresponsável.

“A Marinha do Brasil, o Exército Brasileiro e a Força Aérea Brasileira são instituições pertencentes ao povo brasileiro e que gozam de elevada credibilidade junto à nossa sociedade conquistada ao longo dos séculos”, diz trecho da nota emitida pelos militares.

“Falta de acompanhamento médico adequado durante o início dos sintomas pode contribuir para quadros graves da Covid-19”, afirma especialista

Especialistas e lideranças educacionais defendem retomada das aulas presenciais

O ataque do senador Omar Aziz foi transmitido ao vivo pela TV, na internet, durante sessão da CPI da Covid-19, no Senado, onde o ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias, teve prisão decretada pelo senador do PSD.

Nitidamente exaltado, Aziz, que não encerrou os trabalhos da CPI quando a sessão do Plenário do Senado iniciou naquele dia, esbaforiu que os “membros do lado podre das Forças Armadas estão envolvidos com falcatrua dentro do governo”, disse.

O ministro das Forças Armadas e todos os comandantes do Exército, Aeronáutica e da Marinha foram firmes e lembraram a população do verdadeiro papel dos militares, que nada lembra as falas de Omar Aziz.   

“Forças Armadas do Brasil, coisas de se constituírem fator essencial da estabilidade do País, pautam-se pela fiel observância da Lei e, acima de tudo, pelo equilíbrio, ponderação e comprometidas, desde o início da pandemia Covid-19, em preservar e salvar vidas”, concluiu a nota.

Foto: Jefferson Rudy/Agência SenadoFoto: Jefferson Rudy/Agência Senado


Leia mais

Leia também