Obra do governo estadual: A tão sonhada barragem em Ecoporanga completa dois anos que está paralisada

É comum no Brasil obras públicas milionárias que começam e não terminam no prazo, e as vezes nunca ficam prontas.

Foto: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Ecoporanga ASCOM-PME

Obra da barragem no córrego Dois de Setembro, interior de Ecoporanga é mais uma dessas obras, que seria uma das mais importantes no município, chegamos no final do ano de 2020, completando dois anos de paralisação, e até o momento a obra está somente no papel, o local está abandonado e completamente esquecido.

Com dois anos de paralisação da obra, o local virou somente mato e destruição, sem falar no crime ambiental, causando assoreamento em nossa represa que abastece a cidade de Ecoporanga. A ordem de serviço que é de responsabilidade do governo estadual, no valor de R$ 667.663,99 foi assinada no dia 10 de agosto de 2017. A área foi comprada pela prefeitura Municipal de Ecoporanga, no valor de R$ 100 mil reais. A implantação da represa iria aliviar a crise hídrica, que é um grande problema de todos os cidadãos ecoporanguenses na época da seca, o motivo da paralisação foi uma sondagem mal feita no terreno, que foi executada pelo governo estadual, e motivou a paralização, o prazo de entrega era de 180 dias.

Foto: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Ecoporanga ASCOM-PME

No ano de 2019, nossa equipe de reportagem buscou informações do governo estadual, e foi relatado que a obra era umas das prioridades em 2020, teria que haver uma nova licitação, contratar uma nova empresa e verificar o terreno, ou até mesmo retornar em outra área. Infelizmente estamos chegando no final do ano de 2020 e nada foi feito.

O que as autoridades locais, Secretaria Municipal de Agricultura, vereadores que são os fiscais do povo, e prefeito tem feito para cobrar do governo do estado a continuidade desta tão importante obra para nosso município.

Quem passa pelo local fica triste de ver tamanha destruição e abandono, em cidades vizinhas, como Barra de São Francisco, Montanha e outras a mesma obra já foi entregue para a população.

 

Fonte: Itamar José dos Santos / Agitaeco

Leia mais

Leia também