“O que houve no Brasil foi uma clara intervenção do imperialismo norte-americano”, diz Deyvid Bacelar


Coordenador geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Deyvid Bacelar falou à TV 247 sobre a interferência dos Estados Unidos no Brasil nos últimos anos, que gerou a operação Lava Jato, o golpe contra a ex-presidente Dilma Rousseff e culminou na eleição de Jair Bolsonaro.Na quinta-feira (22), o embaixador estadunidense no Brasil, Todd Chapman, admitiu que seu país não se preocupa com a democracia brasileira, e sim com o petróleo.

Bacelar listou diversas “movimentações” dos Estados Unidos no Brasil a partir do descobrimento do pré-sal que, segundo ele, evidenciam a clara intenção dos norte-americanos de interferir no cenário brasileiro. “O que ocorreu aqui no Brasil foi sim uma interferência do imperialismo norte-americano. A partir da descoberta do pré-sal, os Estados Unidos começaram a fazer uma série de movimentações aqui no Brasil. Todo mundo se lembra de treinamentos diversos que a Justiça norte-americana fez aqui no Brasil para policiais federais, delegados da Polícia Federal, a ‘República de Curitiba’ quase toda com aqueles procuradores que estão sumidos, o Sergio Moro, outros juízes da Justiça Federal com treinamentos feitos como se fossem agentes da CIA. Outras movimentações: a 4º frota naval norte-americana deslocada para cá, a mudança da embaixada norte-americana quando trazem a embaixadora que se envolveu em um golpe de Estado ali no Paraguai quando tiram o presidente Fernando Lugo, quando se envolvem diretamente no processo de espionagem da companheira Dilma Rousseff, no processo de espionagem de ministros do Estado, de espionagem da Petrobras”. 

“É óbvio que o principal interesse do imperialismo norte-americano aqui no Brasil são as novas fronteiras do pré-sal brasileiro”, concluiu.

Inscreva-se na TV 247, seja membro e compartilhe:

Deyvid Bacelar

Deyvid Bacelar (Foto: Reprodução | Reuters/Yuri Gripas)