O MEU ANIVERSÁRIO.

ROSA
Eu não gosto de fazer aniversario. Também não faço questão de partir para a melhor nos próximos trezentos anos. Sei que não vou ficar para semente. O fato é que não gosto de festejar o dia do meu nascimento e torço para que o dia termine logo. É certo dizer que se completou mais um ano, porém, na verdade é menos um no jardim da sua – no caso da minha – existência. O tempo não para. Quando o meu pai fez quarenta novembros eu achei que ele estava ficando velho. Na época contava eu com dezesseis anos e tinha pressa para chegar aos dezoito. No dia dos meus quarenta anos eu olhei para mim e pensei que era ainda muito jovem, e meu pai com sessenta e quatro parecia mais moço do que aquele homem que eu vi quando fez os quarenta dele. Meu pai arredondou setenta em novembro e eu chego aos 4.7 no próximo dia 28. Sou grato a Ele pela vida. Espero que no caderno Dele esteja marcado: creumir guerra, lá de Mantenópolis: 9.4. O único jeito de não ficar velho é morrendo novo. Que venham os números, mas hei de continuar jovem por muitos anos. Parabéns a todos, felicidades sempre.

Texto: Creumir Guerra
Creumir Guerra é Promotor de Justiça no Estado do Espírito Santo

Veja mais sobre Creumir Guerra

Leia mais

Leia também