O escritor aguadocense, Edilson Xavier, publicou um artigo sobre a morte de Paulo Márcio

O SiteBarra tem mantido uma ótima relação com o escritor aguadocense, Edilson Xavier.

Diante da morte do prefeito Paulo Márcio, ele se comoveu com a situação do município e nos enviou um ótimo artigo que certamente vale muito a pena ler e refletir.

Edilson formou-se em letras pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e atualmente reside no distrito de Governador Lacerda de Aguiar em Água Doce do Norte.

Confira abaixo o texto escrito por ele como forma de homenagem ao saudoso e inesquecível prefeito Paulo Márcio.


UMA POPULAÇÃO PERPLEXA MEDIANTE À IMPOTÊNCIA DA DOENÇA

Água Doce do Norte ficou impactada com a morte de seu prefeito, Paulo Marcio que partiu para um encontro definitivo com o Criador sem mesmo poder se despedir.
A população foi às ruas, nesta quinta-feira, 23/07/2020, esperando o cortejo passar na tentativa de dizer adeus, ainda que de longe, ao seu prefeito. O cortejo passou primeiro em Rio Preto onde o comércio local, em sinal de respeito, manteve-se fechado, passando pela sede em direção a Santo Agostinho, onde foi sepultado sem velório.
Em uma cena incomum o primeiro prefeito de Água Doce do Norte, Senhor Otávio Araújo, 77 anos de idade, estava assentado em uma cadeira em frente à sua casa esperando o cortejo passar. Vendo-o desolado dirigi-me a ele e perguntei:
– Senhor Otávio, como o Senhor analisa esta situação sendo o primeiro prefeito de Água Doce?
Com olhar tristonho ele respondeu:
– Só nos resta aclamar a Deus! Paulo Márcio era um prefeito jovem e podia fazer muito por Água Doce do Norte. Eu rezo para que ele descanse em paz e que nós saiamos dessa o quanto mais rápido possível.
Mesmo depois do cortejo ter passado a população demorou muito para voltar para suas casas e continuaram ali parados em silêncio, quase que em estado de choque, arrumando suas máscaras no rosto. Era como se estivessem dizendo para si mesmos diante de uma realidade cruel: “a doença é real e está aqui entre nós”.
Aliás essa é a dura realidade: a doença está entre nós querendo bater à nossa porta na tentativa de roubar as nossas vidas, então que apropriemos das palavras do Sr. Otávio Araújo, aclamemos a Deus, mas também voltemos ao isolamento social para nos proteger e também àqueles que amamos.
Se cada um fizer a sua parte “sairemos dessa o quanto mais rápido possível”. Paulo Márcio fez a parte dele: reuniu lideranças locais para discutir a pandemia, tomou decisões e orientou, mas infelizmente perdeu a luta para a doença, agora cabe a cada um de nós entrarmos nesta guerra com as armas do bom-senso e do empenho coletivo para que vidas, inclusive à nossa, não pereça e seja poupada para o bem de todos.

Leia mais

Leia também