Número diário de mortes e de internações em UTIs por Covid-19 é o maior desde julho no Espírito Santo

O aumento do número de casos da doença se reflete tanto no número de pacientes em hospitais quanto no quantitativo de mortes, que nesta terça-feira foram 43.

Paciente é reanimado dentro da UTI para Covid-19 do Hospital Jayme Santos Neves, no ES

Paciente é reanimado dentro da UTI para Covid-19 do Hospital Jayme Santos Neves, no ES

Divulgado nesta terça-feira (23), o número de 43 mortes registradas em 24 horas em decorrência de complicações da Covid-19 é não só um recorde no mês de dezembro, como também o maior já registrado desde o dia 2 de julho deste ano, época em que o Estado vivenciava o primeiro pico da pandemia.

Simultaneamente ao aumento dos casos fatais da Covid-19, cresce também a quantidade de pacientes que desenvolvem quadros graves da doença.

De acordo com o governo estadual, nesta terça-feira, 547 pessoas estavam internadas em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs), deixando o índice de ocupação em 85%. O quantitativo se aproxima do pior cenário já registrado no Estado.

“No auge da pandemia, no dia 6 de julho, nós tínhamos 600 pacientes por dia em UTIs”, pontuou o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, em entrevista à TV Gazeta.

Uma nova preocupação do governo estadual, que surge neste momento, diz respeito ao maior tempo de permanência dos doentes nas UTIs, o que, consequentemente, reduz a oferta de leitos para novos pacientes.

“Com a melhora do cuidado e do manejo, há um aumento médio de dois dias do tempo de permanência dos pacientes que internam nas UTIs e de quatro dias dos pacientes que evoluem para óbito. Conseguimos lutar mais para salvar a vida dos pacientes e isso implica que a mesma disponibilidade de leitos realizada na primeira expansão da doença pode não ser suficiente, caso a expansão de casos se dê na mesma proporção numa segunda onda da doença”, explicou Nésio.

Atualmente, é disponibilizado um total de 644 leitos de UTI para a Covid-19, mas este número pode ser ampliado até 715. O secretário, no entanto, afirma que investirá em uma expansão maior.

“Na primeira quinzena de janeiro vamos passar de 800 leitos de UTIs Covid disponíveis no Espírito Santo”, garantiu.

Total de leitos disponíveis no ES — Foto: Reprodução/ Painel Covid-19

Total de leitos disponíveis no ES — Foto: Reprodução/ Painel Covid-19

A média de mortes por coronavírus continua em mais de 20 por dia no estado. A média móvel dá sinais de maior estabilidade nos últimos 14 dias. No entanto, Nésio reforça que o controle dos casos dependerá do comportamento da população durante as festividades de fim de ano.

Lembrando que, por dia, o estado vem registrando uma grande quantidade de novos casos de Covid. Somente nesta terça-feira, foram 2.340.

“Nós estamos trabalhando para convencer a população a se reservar nas festas de Natal de Ano Novo para que as interações que possam ocorrer nesse final de ano não repercutam em um maior número de óbitos e de internações na primeira quinzena de janeiro”, alertou o secretário.

Leito de UTI no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Leito de UTI no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Na rede privada, o nível de preocupação dos profissionais de saúde é o mesmo. O médico intensivista Gedelvares Francisco Júnior trabalha em um hospital particular de Vila Velha e diz que por lá a ocupação passa de 90%.

“Os casos estão vindo com pacientes mais jovens, já chegando com extrema gravidade. A ocupação do hospital deu uma aumentada principalmente nos últimos dois meses e vem aumentando progressivamente”, disse o médico.

O Espírito Santo registrou, até esta terça-feira (22), 4.839 mortes por Covid-19. O número de casos confirmados chegou a 232.760. O índice de letalidade da doença no estado é de 2,1%. Os dados foram divulgados na plataforma Painel Covid-19, do Governo do Estado.

Leia mais

Leia também