Núcleos de costura e alimentação em Central Carapina já estão funcionando

Os núcleos de produção de alimentação e costura de Central Carapina, na Serra, já estão funcionando de vento em popa. O projeto que integra os programas Capacitar para Empreender e Inova Mercado, da Agência de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas e do Empreendedorismo do Estado (Aderes), tem o objetivo de assistir moradores da região com capacitações voltadas ao empreendedorismo, além de oferecer o espaço para que possam produzir e gerar renda.

Segundo o diretor técnico da Aderes, Hugo Tofoli, os espaços que foram instalados na Associação das Micro e Pequenas Empresas e Empreendedor Individual da Grande Central Carapina, vão funcionar como núcleos de produção e de capacitação dos empreendedores locais, podendo, quando necessário, ser locados pelos alunos e empreendedores da região para que possam utilizar as máquinas e equipamentos para fabricar os produtos de acordo com área de atuação. No momento, o núcleo de costura abriu quatro turmas com 15 alunos cada, totalizando 60 vagas. Já o núcleo de alimentação está funcionando com cinco turmas de dez alunos.

“Os núcleos de produção funcionarão como um laboratório para criação de novos modelos de negócios, produção de novos produtos, capacitação e treinamentos para o empreendedor capixaba”, afirmou.

O diretor técnico da Aderes esteve no núcleo, acompanhado do gerente de Micro e Pequenas Empresas, MEI e Associativismo da Aderes, Paulo Barbosa. De acordo com Tofoli, o propósito da Agência é fortalecer os pequenos empreendedores do Estado, com qualificação de mão de obra. “Dessa forma podemos atender à demanda do município e fortalecer o desenvolvimento econômico da região.”

Glicéria Pires da Silva, de 48 anos, se matriculou no curso de alimentação. Ela contou que o curso se transformou numa grande experiência, pois gosta muito de culinária e o objetivo é progredir dentro do ramo da panificação e se tornar uma empreendedora.

Já a dona de casa Ana Maria Souza, de 48 anos, que se inscreveu no núcleo de costura, afirmou que o curso foi uma verdadeira salvação. “Estava em casa com depressão fazendo tratamento psiquiátrico e Deus colocou esse curso numa hora boa. Quando venho para o núcleo aprendo e me distraio e isso tem sido maravilho pra mim, sem contar que já aprendi fazer várias peças. Estou muito feliz”, pontuou.

Outra participante do núcleo de costura é Josenilda Camila Augusto dos Santos, de 43 anos. Ela está desempregada e o curso se tornou um meio de obtenção de renda. “Estamos aprendendo muito, estou muito satisfeita com tudo”, frisou.

 

Leia mais

Leia também