Nove atletas capixabas estarão na Olimpíada de Tóquio representando o Espírito Santo

Todos os olhos do mundo do esporte estão voltados para Tóquio, onde nesta sexta-feira (23) acontece a cerimônia de abertura de mais uma edição dos Jogos Olímpicos. E, representando o nosso Estado, nove esportistas capixabas, de seis modalidades diferentes, estarão no Japão em busca de medalhas.

Muitos deles já receberam auxílio ou foram homenageados pela Secretaria de Esportes e Lazer (Sesport), seja por meio do programa Bolsa Atleta, dando os primeiros passos no projeto Campeões de Futuro, nos Jogos Escolares do Espírito Santo ou, após a realização de grandes feitos, sendo imortalizados na Calçada da Fama, localizada no Centro de Treinamento Jayme Navarro de Carvalho, em Bento Ferreira, Vitória.

Confira abaixo um pouco da história de cada um:

Alexandra Nascimento (handebol) – Ponta-direita da seleção brasileira, Alexandra Nascimento disputará sua quinta olimpíada consecutiva. Natural de Limeira, São Paulo, mas criada em Vila Velha, ela foi revelada nos Jogos Escolares. Alexandra atualmente joga na França e tem como principal conquista no currículo o título do Mundial de Handebol pelo Brasil em 2013.

Alison Cerutti (vôlei de praia) – Atual campeão olímpico, contemplado pelo programa Bolsa Atleta e estrela na Calçada da Fama da Sesport, Alison Cerutti mora em Vitória e busca mais uma medalha em Tóquio, desta vez ao lado do parceiro paraibano Álvaro Filho. Será a terceira olimpíada do “Mamute”, como também é chamado. Além do ouro no Rio, em 2016, ao lado de Bruno Schmidt, Alison Cerutti foi prata em Londres, em 2012, em parceria com Emanuel. Durante a preparação para Tóquio, realizou parte dos treinos de 2021 na Sesport.

Bruno Schmidt (vôlei de praia) – Nascido em Brasília, mas radicado em Vila Velha, Bruno Schmidt é contemplado pelo programa Bolsa Atleta e atual campeão olímpico de vôlei de praia. No Rio, faturou a medalha de ouro em parceria com o capixaba Alison Cerutti. Agora, ao lado do carioca Evandro, Bruno Schmidt, que foi o menor campeão olímpico da história da modalidade (1,85m), quer buscar o bicampeonato. Em fevereiro, o atleta passou 13 dias internados com infecção pulmonar por conta da Covid-19.

Déborah Medrado (ginástica rítmica) – Moradora da Serra, Déborah Medrado foi contemplada na última edição do programa Bolsa Atleta. Revelada nos Jogos Escolares, ela fez parte do conjunto da seleção brasileira de ginástica rítmica que conquistou a vaga para o País na Olimpíada, após vencer o Pan-Americano da modalidade, disputado no Rio de Janeiro, em junho.

Geovanna Santos (ginástica rítmica) – Geovanna Santos descobriu a ginástica rítmica no núcleo do projeto Campeões de Futuro, em Pinheiros, norte do Estado, onde nasceu. Para poder se dedicar ainda mais ao esporte, se mudou para Vila Velha com a toda a família. Conquistou diversas medalhas em Jogos Escolares e foi contemplada na última edição do programa Bolsa Atleta. Na seleção brasileira, participou da conquista do Pan-Americano, no Rio de Janeiro, que valeu a vaga para o Brasil na Olimpíada.

Nacif Elias (judô) – Nascido em Vitória, mas naturalizado libanês desde 2013, o capixaba disputará a segunda olimpíada defendendo o país asiático e será o porta-bandeira do Líbano na cerimônia de abertura. Nacif, que já disputou os Jogos Escolares, passou a última temporada no Minas Tênis Clube. No Rio, em 2016, ele foi desclassificado por um golpe considerado irregular pela arbitragem durante a luta das eliminatórias na categoria até 81 kg.

Paulo André Camilo (atletismo) – O velocista começou no projeto Campeões de Futuro, treinado pelo próprio pai, Carlos José Camilo de Oliveira, em Vila Velha, e despontou nos Jogos Escolares, onde bateu vários recordes. Especialista nos 100 metros rasos, Paulo André é considerado hoje o homem mais rápido do atletismo brasileiro e tem a meta em Tóquio de finalizar a prova com o tempo abaixo dos 10 segundos, feito ainda não alcançado por nenhum sul-americano. Por suas várias conquistas, como as do campeonato mundial e do pan-americano no revezamento 4×100 livre, em 2019, Paulo André foi homenageado no ano seguinte com uma estrela na Calçada da Fama da Sesport.

Richarlison (futebol) – Natural de Nova Venécia e embaixador do Nova Venécia Futebol Clube, time recém-fundado e que disputa a Série B do Capixabão, o atacante do Everton, da Inglaterra, foi convocado para disputar a Olimpíada de Tóquio, a primeira de sua carreira, após o corte do centroavante Pedro, do Flamengo.

Vinícius Teixeira (handebol) – Nascido em Linhares, o pivô despontou para o handebol na disputa dos Jogos Escolares, pelo Colégio Cristo Rei. Por conta de sua atuação nas competições escolares, se mudou para o Estado de São Paulo quando tinha 17 anos para atuar pelo Metodista, de São Bernardo do Campo, onde disputou seu último ano como juvenil. Atualmente, joga pelo Taubaté, de São Paulo. Vini, como também é chamado, disputará sua segunda olimpíada (a primeira foi no Rio, em 2016).