Novas tendências e impactos da pandemia marcam debates na abertura da VII Semana Estadual de Tecnologia da Informação

A VII Semana Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) começou, nesta segunda-feira (21), em formato totalmente on-line. Com o tema “Os Impactos da Pandemia nos Serviços Digitais”, o evento teve uma abertura marcada por discussões sobre as novas tendências tecnológicas.

As atividades tiveram início com a fala do presidente do Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest), Tasso Lugon, que deu boas-vindas aos participantes e destacou a importância da VII Semana Estadual de TIC para o compartilhamento de experiência, geração de conhecimento e networking. “Os governos têm que manter o foco em inovação e trazer os serviços de balcão para o mundo digital. Estamos trabalhando para facilitar a vida dos cidadãos, o que está dentro dos parâmetros do ‘novo normal’”, afirmou.

Em seguida, a gerente de Gestão de Informação do Prodest, Camila Zacche de Aguiar, apresentou o programa Cibercidadão, que pretende debater e colocar em prática ações inovadoras e tecnológicas, envolvendo a administração pública e diversos segmentos da sociedade.

Para a vice-governadora do Estado, Jacqueline Moraes, o evento é uma forma de incentivar e aproximar as novas tecnologias, além de trazer inovações das esferas da administração pública e consequentemente dos serviços prestados aos cidadãos.

“Fico muito satisfeita ao conhecer o programa Cibercidadão que é uma ferramenta de transformação que vai unir estudantes, professores e a sociedade.  Felizmente, temos um governo tecnológico, ético, transparente e inovador no Espírito Santo. Prova disso é que estamos ganhando vários prêmios nacionais ligados à transparência no fornecimento de dados aos cidadãos”, enfatizou a vice-governadora.

Dados

A primeira palestra do evento foi ministrada pelo presidente da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), coronel Waldemar Gonçalves Ortunho Junior, que abordou o tema “Vazamento de Dados Pessoais e Mecanismos de Prevenção de Dados aos Titulares de Dados”.

Na avaliação do presidente da ANPD, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) é inovadora e complexa, porque trata de diversos pontos relacionados com os cuidados necessários que as organizações devem ter para proteger os dados dos cidadãos.

“É fundamental construir uma cultura de proteção de dados na sociedade com medidas simples. Além da atualização constante dos mecanismos tecnológicos, é necessário adotar meios para entender a origem dos vazamentos e identificar os responsáveis. Esse é um dos papéis da ANPD, que está em processo de estruturação”, explicou Ortunho Junior.

Mesa-Redonda

As atividades do primeiro dia da VII Semana Estadual de TIC foram concluídas com a mesa-redonda “Os impactos da Pandemia nos Serviços Digitais”. O secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Luis Felipe Salin Monteiro, disse que a transformação digital no Brasil é resultado de parcerias feitas entre órgãos da administração pública e o apoio de governos estrangeiros.

“Estamos colhendo experiências da Dinamarca, Reino Unido e Estônia. Isso nos ajuda a aprender com os pontos positivos e negativos dos outros países. Tivemos grandes avanços nos últimos anos, principalmente com a plataforma Gov.BR, cada vez mais utilizada pelos cidadãos”, acrescentou o secretário de Governo Digital.

O presidente da Prodesp (empresa de TIC do Estado de São Paulo), André Arruda, disse que a pandemia teve um grande impacto nos trabalhos das organizações estaduais de Tecnologia da Informação (TI). “Esse novo cenário mostrou a necessidade de fazer parcerias para colocar em prática avanços que ajudem o cidadão. Um exemplo disso foi na cidade de São Paulo, onde o município e o Governo do Estado atuaram em parceria para permitir a abertura de empresas com baixa complexidade em apenas 30 minutos”, explicou.

Já o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad), Fabrício Marques Santos, afirmou que a agenda digital é uma realidade em todos os estados brasileiros. “Não há dúvidas de que a educação, a segurança pública e outros segmentos governamentais serão beneficiados com os avanços tecnológicos. Acredito que o Brasil tem potencial para ser referência no mundo em governo eletrônico nos próximos 5 anos”, acrescentou.

A mesa-redonda também contou com a moderação do subsecretário de Governança Eletrônica e Serviços de Minas Gerais (Seplag/MG), Rodrigo Diniz Lara. Até a próxima sexta-feira (25), palestras e mesas-redondas vão nortear as atividades da VII Semana Estadual de TIC, cuja programação está disponível no site https://semanatic.prodest.es.gov.br/.

 


Leia mais

Leia também