Nova Venécia – Há 67 anos construindo sua independência

» Vista panorâmica com parte do Centro da cidade de Nova Venécia e o histórico vale do Córrego da Serra em primeiro plano. A Pedra do Elefante é um dos principais Patrimônios Natural e Cultural
do município, representativo da cultura e identidade de Nova Venécia. Foto: Denise Rocha, 2014.

Por Izabel Maria da Penha Piva* e Rogério Frigerio Piva**

Emancipar significa tornar-se livre, ter responsabilidades próprias, ganhar asas e liberdade. A cidade de Nova Venécia comemora seus 67 anos de emancipação. Neste evento deixou de ser distrito de São Mateus e passou a ter governo e sede próprios. É a filha deixando a casa do pai e adquirindo condições de se manter.

Até mesmo porque já possuía uma história repleta de personalidade e características muito peculiares que lhe permitiam trilhar novos caminhos, com independência e particularidades que a distinguiam de São Mateus, a começar pelos elementos geográficos. Exemplo disso é relevo diferenciado que se observa entre os dois municípios, além de aspectos culturais.

Nova Venécia como distrito era vista como o sertão ou o interior do município mateense, tamanha as discrepâncias do centro urbano já existente por lá, e as características rústicas e interioranas aqui encontradas. A necessidade de emancipar-se e ter história própria se fizeram urgentes. Era necessário desligar-se do município de origem e criar um caminho independente.

Mas como “o bom filho a casa torna”, todo verão parte da população de Nova Venécia desce ao litoral. Retorna às origens, visita e se alegra nas águas do mar de São Mateus. Depois volta para a rotina cotidiana, estruturada em trabalho e fé.

E assim se vão 67 anos de luta para que a cidade se desenvolva, mas não perca características que a mantenham como um lugar agradável, onde se queira morar, criar raízes, ver os filhos crescerem. São 67 anos de histórias de uma cidade que batalha para se desenvolver e acolher a todos que aqui escolhem viver. E algumas vamos conhecer ou relembrar agora.

Nova Venécia – Sua terra e sua gente antes da emancipação

Nova Venécia inicia sua colonização com o ciclo do cafeeiro, e consequentemente com fazendas, africanos e afro-brasileiros escravizados, extermínio e aculturação indígena, desmatamentos e chegada de migrantes e imigrantes. Mas por trás de todo esse processo econômico há vidas humanas que aqui se estabelecem e viveram suas vidas.

Personagens como os dos povos indígenas como os Pip-Nuk, Giporok e Angrête, fazendeiros como o Barão de Aymorés e seus familiares, africanos e afro-brasileiros como Constância de Angola, Viriato Cancão de Fogo, Felicidade, Preto Bongo e muitos outros, centenas de migrantes nordestinos, mineiros ou mesmo capixabas, imigrantes italianos, portugueses, espanhóis, poloneses, sírio-libaneses, gregos, ingleses, pomeranos e alemães que aqui chegaram, e tantos outros que nesse palco denominado originalmente de “Serra dos Aimorés”, cumpriram sua trajetória de vida nestas terras.

Além do elemento humano, o patrimônio natural hoje é reconhecido como imprescindível para a construção do processo socioeconômico outrora estabelecido. A Pedra do Elefante desde o início da colonização se estabeleceu como marco e sinal de prosperidade para o Barão, que de lá do Cachoeiro do Cravo a avistava e sonhava com uma imensa fazenda produtora de futuras riquezas obtidas com o café que fundaria no que hoje conhecemos como Serra de Baixo.

Também o Rio Cricaré foi o caminho dos sonhos de liberdade para muito dos escravizados que ao receberem a alforria, iam pelas suas águas buscar refúgio em São Mateus, como também para os imigrantes europeus, que por aqui chegavam cheios de vontade de fazer a América. Também pelo rio chegavam os migrantes que vinham do Ceará ou de outros lugares que hoje fazem parte do nordeste, como a Bahia, Alagoas ou Pernambuco, a maioria, fugindo da seca, aqui encontrava abrigo e trabalho. Essas e muitas outras histórias, compõem o passado da cidade que teve início numa fazenda de café.

* Izabel Maria da Penha Piva é mestra em História pela UFES e professora de História na rede estadual em Nova Venécia.
** Rogério Frigerio Piva é graduado em História pela UFES, membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo (IHGES) e professor de História na rede municipal em Nova Venécia.

Fontes Documentais:
Entrevista concedida por Tito Santos Neves em sua residência no Bairro Margareth no ano de 1985 sobre diversos aspectos da sua vida política em Nova Venécia aos integrantes do Movimento Cultural de Nova Venécia.
Ata Nº 153 da Sessão Extraordinária realizada no dia 28 de Agosto de 1953 na Câmara Municipal de São Mateus às 19:30 horas sob a Presidência do Sr. Antônio de Carvalho. Arquivo da Câmara de Vereadores de São Mateus (ES).
Lei Estadual Nº 65 de 30 de Dezembro de 1947. Disponível em: http://www3.al.es.gov.br/Arquivo/Documents/legislacao/html/LEI651947.html. Acessado em 20/01/2021.
Lei Municipal de São Mateus Nº 329/53 de 28 de Agosto de 1953 – “Cria o Município de Nova Venécia” (Cópia). Arquivo da Câmara de Vereadores de Nova Venécia (ES).
Processo “Assembléia Legislativa – Encaminhando, por cópia, o ofício que lhe foi dirigido pelo Sr. Presidente da Câmara M. de S. Mateus, a propósito da criação do Município de Nova Venécia.” 17/12/1953. Fundo Governadoria, Série Processos, Ano 1953. Arquivo Público do Estado do Espírito Santo (APEES).

Fontes Bibliográficas:
Jornal “A Tribuna Livre” – órgão da Câmara Municipal de Nova Venécia. Ano I- Nº 01 – Março a Junho de 1988.
Revista “Memória Legislativa” – órgão oficial da Câmara Municipal de Nova Venécia –ES. Ano I- Nº 01 – Abril de 2000.
FURBETTA, Carlos. História da Paróquia de Nova Venécia. Nova Venécia: Paróquia São Marcos, [1982].
GASPARINI, Waldir (agente de estatística). Nova Venécia – ES. In: Enciclopédia dos Municípios Brasileiros, Volume XXII. Rio de Janeiro: IBGE, 1959. p.126-129.
PIVA, Izabel M. da P. e PIVA, Rogério F. À Sombra do Elefante: a Área de Proteção Ambiental da Pedra do Elefante com guardiã da História e Cultura de Nova Venécia (ES). Nova Venécia: Edição dos Autores, 2014.
PIVA, Rogério Frigerio. Da Colonização à Emancipação: uma breve história de Nova Venécia (1870-1953). In: Patrimônio Fotográfico: catálogo de fotografias do município de Nova Venécia. Nova Venécia: AARQES, 2019. p. 12-31. Disponível para Download em: https://drive.google.com/file/d/1qLWTePp-scIwdOmrRdXdcx8J8q7O93v/view

Fonte: Jhon Martins / redenoticiaes


Leia mais

Leia também