Nova Venécia adere Campanha Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa

A Prefeitura de Nova Venécia celebra o neste mês o “Junho Violeta”, mês dedicado à Campanha Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Pessoa Idosa. A iniciativa integra um movimento global em alusão ao Dia Internacional de Conscientização e Combate à Violência contra a Pessoa Idosa, lembrado no dia 15 de junho.

A Secretaria de Assistência Social, por meio do Centro de Referência Especializado em Assistência Social (CREAS), e do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), vai realizar ações durante todo este mês com o intuito de abordar medidas para prevenir e identificar situações de violência, negligência e abuso contra os idosos. “Entendemos que mais do que tratar os idosos com respeito e dignidade, é nosso dever, enquanto sociedade, denunciar casos de violência às autoridades, já que amor, vergonha e culpa muitas vezes impedem que os idosos denunciem os responsáveis pelas violações, pois na sua maioria são parentes ou pessoas próximas”, afirmou a coordenadora do CREAS, Eufrázia Mazocco.

Está previsto para o próximo dia 15, a realização de panfletagem no Centro da cidade e arredores. No decorrer da semana, serão realizadas algumas ações voltadas à população idosa, com o objetivo de orientação e prevenção aos mesmos. A proposta da Campanha é a conscientização para que família, sociedade e poder público assumam sua responsabilidade na promoção e defesa das pessoas idosas, por meio do enfrentamento e combate a todo tipo de violência.

A violência contra a pessoa idosa deve ser entendida como uma grave violação aos Direitos Humanos e de acordo com o Art. 3º, da Lei 10.741, de 1 de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso). “É obrigação da família, da comunidade, da sociedade e do Poder Público assegurar ao idoso, com absoluta prioridade, a efetivação do direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, à cultura, ao esporte, ao lazer, ao trabalho, à cidadania, à liberdade, à dignidade, ao respeito e à convivência familiar e comunitária”.