Norma estabelece as boas práticas de manejo na produção comercial de suínos

Norma estabelece as boas práticas de manejo na produção comercial de suínos

Atualmente, existem 1,1 mil empresas que gerem a atividade da suinocultura no país Foto: Agência Brasil

A regulamentação das boas práticas de manejo em granjas de suínos de criação comercial, visando ao bem-estar dos animais, foi publicada nesta sexta-feira (18) no Diário Oficial da União (DOU). A Instrução Normativa nº 113 busca estabelecer os parâmetros que sirvam de guia para a cadeia produtiva e agentes fiscalizadores.

“O bem-estar é parte essencial para a sustentabilidade da atividade produtiva e influencia diretamente na saúde dos animais”, destacou o diretor do Departamento de Saúde Animal, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Geraldo Moraes

O Brasil é o 4º maior produtor e exportador de carne suína do mundo, produzindo 3,963 milhões de toneladas e exportando 750 mil toneladas, sendo um dos principais agentes globais, atrás apenas dos Estados Unidos, União Europeia e Canadá em termos de exportação. De acordo com a Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), atualmente existem 1,1 mil empresas que gerem a atividade da suinocultura no país, abrigando mais de 30 mil produtores rurais.

“O bem-estar é parte essencial para a sustentabilidade da atividade produtiva e influencia diretamente na saúde dos animais. Também contribui para combater a ameaça da resistência aos antimicrobianos, uma vez que a implantação das boas práticas de criação produzem animais mais robustos e imunologicamente fortes”, destacou o diretor do Departamento de Saúde Animal, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Geraldo Moraes.

Outro foco importante é a agregação de valor aos produtos pecuários por meio da adoção das boas práticas normatizadas. Entre as evoluções da cadeia produtiva, propõe-se trabalhar formas de alojamento mais sustentáveis que reduzam o estresse oriundo da superlotação e da falta de atividade inerente ao comportamento da espécie, bem como o estabelecimento de um manejo sanitariamente mais seguro.

As orientações estão alinhadas com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) para a produção de suínos, dando respaldo para exportações e negociações internacionais, além de niveladas com as demandas nacionais em relação ao tema.

Com informações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

Leia também