Natural de Barra de São Francisco, Claudino de Jesus é homenageado no 27º Festival de Cinema de Vitória

Com quase sete décadas de vida, Claudino de Jesus é dono de uma trajetória múltipla no mundo das artes, em especial no audiovisual, além de ser médico, gestor público, professor universitário e ambientalista. O que une essas diferentes áreas de atuação em sua biografia é o seu engajamento nas causas coletivas, na defesa da democracia e da diversidade.

Dada a sua enorme contribuição para a cultura do Espírito Santo, Brasileira e também internacional, ele será o Homenageado Capixaba do 27º Festival de Cinema de Vitória. Como parte da homenagem será produzido o Caderno do Homenageado, uma publicação exclusiva assinada pelo jornalista Paulo Gois Bastos. O homenageado também irá receber uma escultura inédita criada pelo artista Vilar e uma joia exclusiva da Carla Buaiz Jóias, além do Troféu Vitória.

Natural de Barra de São Francisco, município do noroeste capixaba, produtor, ator, técnico e diretor nas áreas de audiovisual e artes cênicas, Claudino é um dos principais personagens da retomada do movimento cineclubista brasileiro no início dos anos 2000, realizou trabalhos em várias frentes do setor audiovisual, mas é, sem dúvida, na militância em defesa dos direitos do público que sua atuação mais se destaca.

Em suas palavras, trata-se de buscar promover “o acesso a todas as formas de manifestações culturais existentes de todas as nacionalidades, sem imposição de uma sobre a outra. Somente dessa maneira é possível ter uma cidadania plena. Para além do debate sobre a obra cinematográfica, o cineclubismo é o encontro do filme com a realidade de um determinado público e, por isso,  nós cineclubistas temos o cinema como objeto central para dialogar com o público de modo a contribuir para a formação de sua cidadania cultural e para sua organização em torno de outros direitos”.

Em 1974 Claudino se aproximou do cineclubismo enquanto era estudante de Medicina na Ufes – formação concluída em 1979 e seguida de seu ingresso na mesma instituição como professor. Sua militância junto ao movimento cineclubista brasileiro e mundial o levou à presidência do Conselho Nacional de Cineclubes (1981 a 1995 / 2004 a 2010) e à presidência da Federação Internacional de Cineclubes (FICC), cargo exercido por quase dez anos – de 2010 a 2019.

Por meio de sua produtora criada em 1986, a Verve Produções, desenvolveu inúmeras funções em vários filmes entre eles A Morte da Mulata, de Marcel Cordeiro; O Fantasma da Mulher Algodão, de Margarete Taqueti; Ilhas Caymã de Gabriel Perrone; O Homem que Sonhava Fotografia, de Sebastião Ribeiro Filho; Expedição Tabachi, de Claudino de Jesus e Marcel Cordeiro; e Baía do Espírito Santo, de Claudino de Jesus.

Para a diretora do FCV, Lucia Caus, é um privilégio homenagear a contribuição do artista nesta edição do festival. “Claudino de Jesus é uma figura de extrema importância para a cultura no Espírito Santo, do Brasil, e também internacionalmente. Com várias frentes de atuação, seu nome é referência no movimento cineclubista e em diversas áreas do audiovisual e da produção cultural. É uma honra poder homenagear no 27º Festival de Cinema de Vitória um profissional que pode ser definido como sinônimo da palavra cultura”.

27º Festival de Cinema de Vitória conta com o apoio da Rede Gazeta e do Canal Brasil. Conta também com o apoio institucional do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), Tower Web, Dot, Mistika, Link Digital, ABD Capixaba e Carla Buaiz Jóias. A Realização é da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA).

27º Festival de Cinema de Vitória
Quando
: 24 a 29 de novembro
Online e Gratuito

Claudino de Jesus é dono de uma trajetória múltipla no mundo das artes, em especial no audiovisual. Foto: Sérgio Cardoso

 

27º Festival de Cinema de Vitória acontece em formato online e gratuito

Com o tema Sonhar Colorido Faz Bem o maior evento de cinema e audiovisual do Espírito Santo chega à sua 27ª edição. Entre os dias 24 e 29 de novembro o público vai poder conferir a primeira edição em formato online do Festival de Cinema de Vitória, que em 2020 precisou se readaptar em função da pandemia da Covid-19.

Serão exibidos 101 filmes, entre longas e curtas-metragens, divididos em 13 mostras: 12 competitivas e uma fora de competição, além de uma Sessão Especial de Abertura. As sessões começarão sempre às 19 horas e ficam disponíveis para serem assistidas durante 24 horas. A programação será atualizada diariamente e exibida na plataforma InnSaei.TV de forma totalmente gratuita.

Os trabalhos escolhidos pela comissão de seleção concorrem ao Troféu Vitória, além de prêmios extras. A escolha dos vencedores é feita pelas comissões de Júri do Festival, compostas por especialistas e profissionais do cinema e pelo público através do Júri Popular.

Fazendo jus ao número de inscrições recebidas – foram 1047 filmes inscritos – as produções selecionadas representam diversos gêneros cinematográficos vindas de várias regiões do Brasil.

Segundo Lucia Caus, diretora do FCV, a seleção dos filmes é feita sempre com um olhar apurado para a representatividade. “O Festival de Cinema de Vitória é um espaço para a diversidade de narrativas. A seleção deste ano reúne filmes de gêneros variados e de diversas partes do Brasil confirmando a criatividade da produção audiovisual brasileira contemporânea. É um desafio e, ao mesmo tempo um prazer, dar visibilidade para tantos filmes e ver de perto todo o potencial criativo do nosso cinema”.

27FCV: Online e Gratuito

A maior novidade do 27º Festival de Cinema de Vitória serão as sessões em formato online. As mostras serão exibidas na plataforma InnSaei.TV, que exibiu recentemente os Festivais Kinoforum, Zózimo Bulbul e Mix Brasil.

Para acessar o site o espectador precisa realizar um cadastro rápido e gratuito e conferir os filmes selecionados através de diversas telas, como celular, computador, tablet e smart TV. Cada filme ficará disponível durante 24 horas e a programação será renovada diariamente, sempre às 19 horas.

Para Lucia Caus, apesar desta edição não realizar as tradicionais sessões presenciais, devido à pandemia, o formato online possibilita ampliar o alcance do evento. “Uma das principais características do Festival de Cinema de Vitória são as sessões com plateia, sempre cheias e muita calorosas. Mas as mostras em formato online são uma oportunidade de fomentar ainda mais o acesso às produções de curta e longa-metragem, já que o espectador poderá acessar o conteúdo de qualquer lugar do Brasil”.

Os tradicionais debates entre os realizadores também acontecerão de forma remota, na plataforma InnSaei.TV e no Canal de Youtube do Festival de Cinema de Vitória. Os bate-papos serão conduzidos pelo jornalista e crítico de cinema, Filippo Pitanga; e pela doutoranda em psicologia e cinema pela USP e crítica de cinema para o portal Geledés, Viviane A. Pistache. O debate da  Mostra Cinema e Negritude, será mediado pelo jornalista Leonardo Vais; e da  Mostra Mulheres no Cinema pela diretora Saskia Sá.

Homenageados

O cantor e compositor Gilberto Gil é o Homenageado Nacional do 27FCV. Foto: Gérard Giaume
Gilberto Gil

Homenageado Nacional do 27º Festival de Cinema de Vitória é o cantor e compositor Gilberto Gil, pela sua contribuição para o cinema e a cultura brasileira. O artista emprestou o seu talento para diversas produções audiovisuais assinadas por nomes como Andrucha Waddington (Eu, Tu, Eles); Walter Lima Jr (Brasil Ano 2000); Rogério Sganzerla (Copacabana Mon Amour); Cacá Diegues (Quilombo e Um Trem Para as Estrelas).

Além de ter sido tema de três documentários em fases distintas da sua carreira: Doces Bárbaros (1976), de Jom Tob Azulay; Tempo Rei (1996), de Andrucha Waddington, Lula Buarque e Breno Silveira; Viva São João! (2001), de Andrucha Waddington.

Como parte da homenagem será produzido o Caderno do Homenageado, uma publicação exclusiva com texto assinado pelo jornalista e escritor Jace Theodoro edição de Lucia Caus, uma escultura inédita criada pelo artista José Carlos Vilar e uma joia exclusiva da Carla Buaiz Jóias, além do Troféu Vitória.

O produtor Claudino de Jesus é o Homenageado Capixaba do 27FCV. Foto: Sérgio Cardoso
Claudino de Jesus

Homenageado Capixaba do 27º Festival de Cinema de Vitória é Claudino de Jesus. Produtor, ator, técnico e diretor nas áreas de audiovisual e artes cênicas, ele é um dos principais personagens da retomada do movimento cineclubista brasileiro no início dos anos 2000, que o levou à presidência do Conselho Nacional de Cineclubes (1981 a 1995 / 2004 a 2010) e à presidência da Federação Internacional de Cineclubes (FICC), cargo exercido por quase dez anos – de 2010 a 2019.

Além da trajetória múltipla no mundo das artes, Claudino também é médico, gestor público, professor universitário e ambientalista. O que une essas diferentes áreas de atuação em sua biografia é o seu engajamento nas causas coletivas, na defesa da democracia e da diversidade.

Como parte da homenagem será produzido o Caderno do Homenageado, uma publicação exclusiva assinada pelo jornalista Paulo Gois Bastos, uma escultura inédita criada pelo artista José Carlos Vilar e uma joia exclusiva da Carla Buaiz Jóias, além do Troféu Vitória.

Mostras

O PRAZER DE MATAR INSETOS (FIC, 10’, RJ), de Leonardo Martinelli, será exibido na 9ª Mostra Corsária

Os filmes escolhidos pela curadoria do festival serão distribuídos em 11 janelas de exibição. Entre elas, estão a 24ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas, com uma seleção de títulos da safra recente do cinema brasileiro; a 10ª Mostra Competitiva Nacional de Longas, que contará com a exibição de seis filmes na competitiva e um fora de competição; a 10ª Mostra Quatro Estações, com produções que abordam a temática da diversidade sexual; a 9ª Mostra Corsária, com filmes que apresentam pesquisas de linguagem da estética cinematográfica; a 9ª Mostra Foco Capixaba, janela exclusiva para realizadores do Espírito Santo; e a 7ª Mostra Outros Olhares, que propõe a observação da construção de novos mundos a partir de experiências particulares.

Duas janelas temáticas completam meia década de exibição este ano: a 5ª Mostra Mulheres no Cinema, sessão com filmes dirigidos exclusivamente por mulheres e que aborda as questões de gênero, valorizando a atuação feminina por trás das câmeras; e a 5ª Mostra Cinema e Negritude, com filmes produzidos exclusivamente por realizadores negros e que tratam das narrativas que atravessam a população negra no Brasil.

COMENDO CÉREBROS (ANI, 5’, PR), Almir Correia, será exibido na 3ª Mostra Nacional de Cinema Ambiental

4ª Mostra Nacional de Videoclipes, apresenta produções de gênero experimental por excelência e que fundem música e audiovisual; a 3ª Mostra Nacional de Cinema Ambiental, abre espaço para o debate sobre sustentabilidade e questões ambientais. Janela mais recente do festival, a 2ª Mostra Do Outro Lado – Cinema Fantástico e de Horror, traz o terror para o evento.

Mostra AudioTranVisual

A novidade deste ano é a 1ª Mostra AudioTransVisual, que acontece entre os dias 26 e 28 de novembro e exibirá 17 curtas-metragens que serão divididos nos três dias de exibição, sempre a partir das 19 horas, nos Canal de YouTube do FCV.

Idealizada por André da Costa, a janela é resultado de um curso online e gratuito – proposto durante a pandemia de COVID-19 -, que possibilitou a formação de 30 alunes trans de 13 estados brasileiros.

A seleção, que teve sua primeira exibição nas redes sociais do Mídia Ninja no mês de setembro, apresenta diversos gêneros cinematográficos, que reafirmam a criatividade e a importância da representatividade trans no audiovisual.

Mostra AudioTransVisual é um projeto idealizado e coordenado por André da Costa Pinto, responsável também pela formação dos participantes. O trabalho conta com a produção executiva de Carol Torquato e com a participação dos colaboradores de conteúdo: Antônio Amâncio (Agenciamento e Mercado); Nathan Cirino (Roteiro de Ficção); João Carlos Beltrão (Fotografia); Natara Ney (Montagem); Ely Marques (Finalização de Imagens); Guga S. Rocha (Som);  Iomana Rocha (Direção de Arte); Franz Lima (Visagismo e Designer Gráfico); Gastão Villeroy (Trilha Sonora).

Fora de Competição
O CEMITÉRIO DAS ALMAS PERDIDAS (FIC, 94’, ES), Rodrigo Aragão, será exibido na Sessão Especial de Abertura

27 FCV irá exibir em  Sessão Especial de Abertura, o novo filme do diretor Rodrigo Aragão, O Cemitério das Almas Perdidas. O longa-metragem conta com efeitos especiais extremamente elaborados, grandes cenários e dezenas de figurantes. Aragão é um dos maiores nomes de destaque do cinema de horror tanto no Brasil quanto no mercado internacional.

Tradicionalmente exibida dentro da programação que antecede o Festival de Cinema de Vitória, a 3ª Mostra Cinema de Bordas será realizada durante o festival. A mostra reúne produções periféricas, de baixo orçamento, realizadas por cineastas autodidatas de pequenas cidades ou arredores das grandes capitais e conta com a curadoria da pesquisadora e escritora Bernadette Lyra.

Comissão de Seleção 

Comissão de Seleção do 27º Festival de Cinema de Vitória é formada por profissionais de reconhecida trajetória no meio audiovisual. São eles: a curadora, cineasta e produtora oriunda do curso de Cinema da UFF, Flavia Candida, o cineasta, escritor e pesquisador na área audiovisual, doutor em Comunicação e Cultura pela UFRJ, e professor do POSCOM, da Ufes, Erly Vieira Jr, e o produtor audiovisual e curador Waldir Segundo (24ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas, 10ª Mostra Quatro Estações, 9ª Mostra Foco Capixaba, 9ª Mostra Corsária, 7ª Mostra Outros Olhares); a produtora cultural e jornalista Leila Bourdoukan e o professor no Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Gilberto Alexandre Sobrinho (10ª Mostra Competitiva Nacional de Longas); a escritora, ilustradora, diretora e roteirista, Saskia Sá, a educadora e pesquisadora Bárbara Cazé, e a pesquisadora da representação da mulher negra no audiovisual brasileiro contemporâneo, Hegli Lotério (5ª Mostra Mulheres no Cinema);  a gestora cultural e coordenadora do Museu Capixaba do Negro, Thaís Souto Amorim, e o jornalista, Leonardo Vais (5ª Mostra Cinema e Negritude); o jornalista, publicitário e produtor cultural, Luiz Eduardo Neves, e a mestre em educação pela UERJ e professora dos cursos técnicos em Rádio e TV, Suellen Vasconcelos (4ª Mostra de Videoclipes); a escritora, pesquisadora e curadora, Bernadette Lyra (3ª Mostra Cinema de Bordas); a cineclubista, roteirista, produtora e realizadora de audiovisual Margarete Taqueti, e o cineasta e ambientalista Jefferson de Albuquerque Junior (3ª Mostra de Cinema Ambiental); o produtor audiovisual e curador, Waldir Segundo (2ª Mostro Do Outro Lado – Cinema e Fantástico e de Horror).

Júri

Júri do 27º Festival de Cinema de Vitória é formado por nomes com vínculo estreito com o audiovisual. São eles: a montadora e editora Natara Ney, os diretores Tiago Minamisawa e Rodrigo de Oliveira (24ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas 9ª Mostra Foco Capixaba); a atriz Bel Kutner, o jornalista Gustavo Cheluje, e a montadora Cristina Amaral (10ª Mostra Competitiva Nacional de Longas); o ator, diretor e produtor Marcio Rosário, a atriz Danny Barbosa, e o diretor Hsu Chien (10ª Mostra Quatro Estações); a realizadora Gabriele Stein, a professora de cinema e audiovisual Daniela Zanetti, e o diretor, fotógrafo e cineclubista Sebastião Filho – Tião Xará (9ª Mostra Corsária); a produtora e professora Luciana Gama; a educadora, pesquisadora e cineclubista Bárbara Cazé; e o realizador Bernard Lessa (7ª Mostra Outros Olhares); a atriz, preparadora de elenco e arte-educadora Kassandra Brandão, a antropóloga, curadora e crítica de cinema Samantha Brasil, e a roteirista e diretora Viviane Pistache (5ª Mostra Mulheres no Cinema); a escritora e pesquisadora Tamyres Batista, a educadora e cineclubista Adriane Nunes, o cineasta, educador audiovisual e doutorando em educação Clementino Junior (5ª Mostra Cinema e Negritude); a produtora cultural Simone Marçal o compositor, produtor musical e diretor artístico Barral Lima, a realizadora Paula Rocha (4ª Mostra Nacional de Videoclipes); diretor, produtor e roteirista Cloves Mendes, a professora Martha Tristão, diretor, produtor, roteirista e cineclubista Luís Paiva (3ª Mostra Nacional de Cinema Ambiental); a gestora e produtora cultural Monica Trigo, a produtora executiva Máyra Alarcon, e o diretor Bertrand Lira (2ª Mostra Do Outro Lado – Cinema Fantástico e de Horror).

Júri Técnico da ADB Capixaba formado pelos cineastas Diego de Jesus e Rodrigo Cerqueira irá premiar o Melhor Filme, de acordo com a entidade, da 24ª Mostra Competitiva Nacional de Curtas.

Identidade Visual

A frase Sonhar Colorido Faz Bem é de autoria do artista Hélio Coelho e se tornou o tema do 27º Festival de Cinema de Vitória. As cores, os desenhos e o lúdico do trabalho do artista também foram à inspiração para a identidade visual do 27FCV.

A criação da nova identidade contou com o trabalho de Neusa Mendes, um dos nomes mais respeitados nas Artes Plásticas do Espírito Santo e do país, e que, ao lado da designer Anaise Perrone, repetem a parceria de sucesso com o festival e que foi iniciada em 2019.

Para isso, as profissionais tiveram como base as pinturas “Helicóptero”, datada de 1985; e “Pele”, de 2002, que fazem parte do acervo da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

27º Festival de Cinema de Vitória conta com o Patrocínio do Ministério do Turismo, através da Lei de Incentivo à Cultura, e do Banestes. Conta com o apoio da Unimed Vitória, da Rede Gazeta, do Canal Brasil, da Stella Artois e da Suzano. Conta também com o apoio institucional do Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), da Tower Web, da Dot, da Link Digital, da Mistika, da ABD Capixaba, da Carla Buaiz Jóias, do Findes, do Sesi Cultural e da Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo. A realização é da Galpão Produções e do Instituto Brasil de Cultura e Arte (IBCA).

27º Festival de Cinema de Vitória
PROGRAMAÇÃO 

24 de novembro
Terça-feira

19h Cerimônia de Abertura
Homenagem a Claudino de Jesus

Primeira Sessão Competitiva Nacional

– 4 Bilhões de Infinitos, de Marco Antônio Pereira (FIC, MG, 15′)
– Ilhas de Calor, de Ulisses Arthur (FIC, AL, 20′)
– A Morte Branca do Feiticeiro Negro, de Rodrigo Ribeiro (DOC, SC, 10′)
– 90 Rounds, de Juane Vaillant e João Oliveira (DOC, ES, 20′)
– Pureza, de Renato Barbieri (FIC, DF, 101’)

Sessão Especial de Abertura

– O Cemitério das Almas Perdidas, de Rodrigo Aragão (FIC, ES, 94’)

7ª Mostra Outros Olhares 

– O Que Pode um Corpo?, de Victor Di Marco e Márcio Picoli (DOC, RS, 15′)
– Rebento, de Vinicius Eliziário (FIC, BA, 18′)
– Joãosinho da Goméa – O Rei do Candomblé, de Janaina Oliveira ReFem e Rodrigo Dutra (DOC, RJ, 14’)
– Carta para Dona Quarentena, de Letícia Braga (EXP, ES, 3’)
– Estamos Todos na Sarjeta, mas Alguns de Nós Olham as Estrelas, de João Marcos de Almeida e Sérgio Silva (FIC, SP, 20′)

25 de Novembro
Quarta- feira

11h Debate Primeira Sessão Competitiva Nacional
15h Debate 7ª Mostra Outros Olhares

19h Segunda Sessão Competitiva Nacional

– Parte do Que Parte Fica, de Camilla Shinoda (FIC, DF, 20′)
– Manaus Hot City, de Rafael Ramos (FIC, AM, 13′)
– Ser Feliz no Vão, de Lucas H. Rossi dos Santos (DOC, RJ, 12′)
– Inabitáveis, de Anderson Bardot (FIC, ES, 25′)
– Yãmĩyhex: as Mulheres-Espírito, de Sueli Maxakali e Isael Maxakali (DOC, MG, 76’)

9ª Mostra Corsária

– Cultural, de Armando Lima (EXP, SP, 6′)
– Temporal, de Maíra Campos e Michel Ramos (FIC, MG, 8′)
– O Prazer de Matar Insetos, de Leonardo Martinelli (FIC, RJ, 10′)
– Pátria, de Lívia Costa e Sunny Maia (DOC, CE, 8’)
– Naquela Época Devoraram Meus Olhos, de Cleissa Regina Martins (EXP, RJ, 4’)
– 3 Gotas, de Luiz Will Gama (EXP, ES, 8’)
– O Jardim Fantástico, de Fábio Baldo e Tico Dias (FIC, SP, 20′)

3ª Mostra Nacional de Cinema Ambiental

– Raízes, de Coletivo FemArte (FIC, RJ, 7’)
– Rocha Matriz, de Cristal Líquido (Miro Soares e Gabriel Menotti) (DOC, ES, 25’)
– Comendo Cérebros, de Almir Correia (ANI, PR, 5’)
– Sirumi, de Thiago Camargo (FIC, GO, 19’)

26 de Novembro
Quinta- feira

11h Debate Segunda Sessão Competitiva Nacional
15h Debate 9ª Mostra Corsária
16h Debate 3ª Mostra Nacional de Cinema Ambiental

19h Terceira Sessão Competitiva Nacional

– Baile, de Cíntia Domit Bittar (FIC, SC, 18′)
– O Tempo e a Falta, de Claudiana Braga (DOC, ES, 17′)
– Quinze, de Isis Caroline (FIC, SP, 18′)
– Perifericu, de Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira (FIC, SP, 20′)
– Um Dia com Jerusa, de Viviane Ferreira (FIC, SP, 74’)
– O Livro dos Prazeres, de Marcela Lordy (FIC, RJ, 99’)

10ª Mostra Quatro Estações

– Babi & Elvis, de Mariana Borges (DOC, MG, 18′)
– Agachem, Segurem, Formem, Arrasem, de Caio Baú (DOC, SP, 10′)
– Bonde, de Asaph Luccas  (FIC, SP, 18′)
– Convictas, de Kamila Barbosa Ferreira (DOC, ES, 16’)

3ª Mostra Cinema de Bordas

– Comando Central, Antônio Estevão (FIC, ES, 75’)
– Nuvem Baixa, de André Okuma (FIC/EXP, SP, 15’)
– Marta Morta, de Rubens Mello (FIC, SP, 8’)
– Os Crimes da Rua do Arvoredo, de Patty Fang (DOC, RS, 9’)

1ª Mostra TransAudioVisual

– Tia Iracy Futebol Clube, de Layla Sah
– A Neta de Cibele, de Nicole Terra
– Oficina do Diabo, de Caim Pacheco
– À Procura de Pandora, de Louise Xavier
– A Hora do Banho, de Cenobite Monroe

27 de Novembro
Sexta-feira

11h Debate Terceira Sessão Competitiva Nacional
15h Debate 10ª Mostra Quatro Estações

19h Quarta Sessão Competitiva Nacional

– Para Todas as Moças, de Castiel Vitorino Brasileiro (DOC, ES, 2′)
– Jorge, de Jéferson Vasconcelos (FIC, RJ, 19′)
– O Conforto das Ruínas, de Gabriela Lourenzato (FIC, SP, 18′)
– Inabitável, de Matheus Farias e Enock Carvalho (FIC, PE, 20′)
– Chico Rei entre Nós, de Joyce Prado (DOC, SP, 94’)

5ª Mostra Mulheres no Cinema

– Seremos Ouvidas, de Larissa Nepomuceno (DOC, PR, 13’)
– Angela, de Marília Nogueira (FIC, MG, 15’)
– Esmalte Vermelho Sangue, de Gabriela Altaf (DOC, RJ, 13’)
– Minha História É Outra, de Mariana Campos (DOC, RJ, 22’)

2ª Mostra Do Outro Lado – Cinema Fantástico e de Horror

– Náusea, de Thomas Webber (FIC, PR, 13’)
– Eu Estou Vivo, de Maíra Campos e Michel Ramos (FIC, MG, 23’)
– Mamãe Tem Um Demônio, de Demerson Souza (FIC, SP, 25’)
– As Viajantes, de Davi Mello (FIC, SP, 11’)

4ª Mostra Nacional de Videoclipes

– Blá Blá Blá, de Junior Batista. Artista: Morenna (ES, 3’)
– Killa, de Jessica Lauane. Artista: Enme (MA, 3’)
– Primeiro Remix, de Raphael Correa. Artista: Antonio e Gustavo Rosseb (SP, 3’)
– Livre pra Viver, de Danilo Laslo. Artista: Douglas Lopes (ES, 4’)
– Gigantesca, de Letícia Pires. Artista: Mariana Volker (RJ, 4’)
– Pila Pilão, de Giuliana Danza. Artista: Serelepe (MG, 1’)
– Dark Cloud, de MAGU (Marina Abranches e Gustavo Martins). Artista: Dan Abranches (ES, 4’)
– Fantasmas Talvez, de Diego Locatelli e Felipe Amarelo. Artista: André Prando (ES, 4’)
– Ave de Nós, de Roberto Mamfrim. Artista: Kanduras (SP, 4’)
– Roma, de Francisco Xavier. Artista: Cinco Nós (ES, 4’)
– Diferenciado, de Amon e Jeffão. Artista: PTK (ES, 2’)
– Náufrago, de Consuelo Cruz e Pedro Henrique França. Artista: Majur (RJ, 3’)
– O Clã, de Raymundo Calumby. Artista: Isis Broken (SE, 3’)
– Texas, de Felipe Soares. Artista: Kira Aderne e Tárcio Luna (PE, 6’)
– Cidadão de Bem, de Cainã Morellato. Artista: Cainã e a Vizinhança do Espelho (ES, 3’)
– Sinal Fechado, de Lucas Sá. Artista: Getúlio Abelha (MA, 6’)

1ª Mostra AudioTransVisual

– Bhoreal, de Bernardo de Assis
– Graça em Tempo de Pandemia, Rhany Merces
– A Corpa Fala, de Gabbs Torres
– Nelliel, de Jane Beatriz
– Adão, de Henrique Bulhões
– A Coisa tá Russa, de Deborah Gomes

28 de Novembro
Sábado

11h Debate Quarta Sessão Competitiva Nacional
14h Debate 5ª Mostra Mulheres no Cinema
15h Debate 2ª Mostra Do Outro Lado
16h Debate 4ª Mostra Nacional de Videoclipes

19h Quinta Sessão Competitiva Nacional

– Como Ficamos da Mesma Altura, de Laís Santos Araújo (FIC, AL, 17′)
– Egum, de Yuri Costa (FIC, RJ, 23′)
– Thinya, de Lia Letícia (FIC, PE, 16′)
– O Verbo Se Fez Carne, de Ziel Karapotó (EXP, PE, 6′)
– Para Onde Voam as Feiticeiras, de Eliane Caffé, Carla Caffé e Beto Amaral (DOC, SP, 89’)

5ª Mostra Cinema e Negritude

– Cão Maior, de Filipe Alves (FIC, DF, 20’)
– Terceiro Andar, de Deuilton B. Júnior (FIC, PE, 9’)
– Lembrar Daquilo Que Esqueci, de Castiel Vitorino Brasileiro (DOC, ES, 20’)
– Alfazema, de Sabrina Fidalgo (FIC, 24′, RJ)

9ª Mostra Foco Capixaba

– Redundância, de Wayner Tristão (EXP, ES, 6′)
– O Trauma É Brasileiro, de Castiel Vitorino Brasileiro e Roger Ghil (DOC, ES, 14′)
– Na Terra dos Papagaios, de Adriana Jacobsen (EXP, ES, 1’)
– Amargo Rio Doce, de Ricardo Sá (DOC, ES, 20′)
– Zacimba Gaba – Um Raio na Escuridão, de Tati Rabelo e Rod Linhales (DOC, ES, 15′)

1ª Mostra TransAudioVisual

– Café com Rebu, de Danny Barbosa
– Lugar de Origens, de Luca Andrade
– Amei-a, de Vinicius Cassano
– Como Nenhuma Inteligência já Amou, de Sophi Saphirah
– Femininação, de Victoria Helena
– Iauaraete, de Xan Marçall

29 de Novembro
Domingo

11h Debate Quinta Sessão Competitiva Nacional
15h Debate 5ª Mostra Cinema e Negritude
16h Debate 9ª Mostra Foco Capixaba

18h Homenagem a Gilberto Gil
Cerimônia de Premiação

 

27º Festival de Cinema de Vitória
Quando: 24 a 29 de novembro
Local: InnSaei.TV, Youtube e Redes Sociais do FCV
Online e Gratuito

 

Onde Assistir:
Cerimônias de Abertura e Encerramento, Premiação, Homenagens e Debates: ‌InnSaei.TV‌‌ e YouTube  FCV
Mostras Competitivas, Não-Competitivas e Sessão Especial de Abertura: InnSaei.TV‌‌
Mostra TransAudioVisual: YouTube  FCV

Leia mais

ES: acusado de matar ex-namorada será julgado 24 anos após o crime

Após 24 anos e nove adiamentos, acontece na manhã desta terça-feira (10) o julgamento do empresário Luiz Claudio Ferreira Sardenberg, que acusado suspeito de...

Governo apresenta novo Indicador de Situação Previdenciária para estados e municípios

Foi divulgada, nessa quinta-feira (9), a nova versão do Indicador de Situação Previdenciária dos Regimes Próprios de Previdência Social (ISP-RPPS) dos estados, Distrito Federal...

INDICADORES: Preço do boi gordo registra baixa nesta quarta (19)

A cotação da arroba do boi gordo começou a quarta-feira (19) com queda de 0,53% no preço e o produto é negociado a R$...

Após perdas da pandemia, livrarias lançam campanha para atrair leitores para lojas físicas

A pandemia de Covid-19 fez as livrarias exclusivamente físicas passarem um grande dilema este ano. O segmento, que já estava em queda desde a...

Leia também