“Não brinquem com fogo”: China emite alerta aos Estados Unidos sobre interferência em Taiwan


A China alertou os Estados Unidos a “não brincarem com fogo” após nova medida da administração Joe Biden que remove restrições sobre reuniões entre oficiais estadunidenses e taiwaneses. 

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, exortou os EUA a não influenciarem subversivamente Taiwan, que, sob a ‘Política da uma China’, é de autoridade chinesa.

“Os EUA devem interromper imediatamente qualquer forma de contato oficial com Taiwan, lidar com o assunto de forma cautelosa e apropriada e não enviar sinais errados às forças de independência de Taiwan para não influenciar subversivamente e prejudicar as relações sino-americanas e paz e estabilidade em todo o Estreito de Taiwan”, afirmou o porta-voz.

As informações foram reportadas na Al Jazeera.

Aumento das tensões

Existe uma insatisfação crescente no governo Biden, reporta o New York Times, com a postura dos EUA em relação à ilha, que, apesar de receber apoio militar e político do mundo ocidental, este não fragiliza a autoridade chinesa. 

“Chegou a hora de os EUA introduzirem uma política de clareza estratégica: uma que torne explícito que responderíamos a qualquer uso da força chinesa contra Taiwan”, defendeu Richard N. Haass, ex-diretor de planejamento de políticas do Departamento de Estado do presidente George Bush e agora presidente do Conselho de Relações Exteriores da administração Biden.

Diante das crescentes ameaças, a China realizou no último dia 6 exercícios militares na região e disse que estes se tornarão frequentes.

Leia mais

Leia também