Músico é inocentado de acusação de homicídio 20 anos após crime no Espírito Santo

Samuelson Teixeira, o rapper Kapella, foi acusado de participação no assassinato do empresário Magno Flor Durans, em 2001, em Viana, na Grande Vitória.

Por Ana Clara Morais, G1 ES

O músico Samuelson Teixeira, conhecido como Kapella, de 46 anos, foi inocentado pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES) da acusação de participar do assassinato do empresário Magno Flor Durans. O crime aconteceu há 20 anos, no bairro Universal, em Viana, na Grande Vitória.

Kapella é carioca, mas iniciou a carreira de rapper e produtor musical na região da Grande Vitória, no final da década de 90 e início dos anos 2000.

Em 2001, o músico foi acusado de assassinar o empresário Magno Flor Durans, morto por 14 tiros em uma chácara no bairro Universal, em Viana.

A polícia não encontrou provas que ligassem o rapper ao crime, mas só agora, 20 anos depois, o músico foi absolvido pela Justiça do Espírito Santo.

Kapella foi ligado ao crime com base no depoimento do réu no caso e condenado pelos disparos. Pela acusação, Kapella teve a prisão preventiva decretada e ficou 27 dias na prisão.

Segundo os advogados de defesa, o outro acusado mudou a versão de seu depoimento durante a tramitação do caso na Justiça.

“Durante o inquérito policial, primeiramente o suspeito negou o crime, depois, em um segundo depoimento, ele confessou e alegou a participação do Samuelson. Já na primeira fase do Tribunal do Júri, ele negou a autoria por parte do Kapella. Ou seja, não existiu nenhuma prova que pudesse condenar o músico”, apontou o advogado do rapper, Patrick Berriel.

Ainda segundo Antônio Fernando Moreira, também da defesa, Kapella foi acusado do crime porque passava pelo local. De acordo com o advogado, a mãe do rapper morava perto de onde o assassinato aconteceu. Para ir até a casa dela, era necessário passar pela chácara. Ele estava visitando a mãe quando o empresário foi morto.

Os dois acusados foram a júri popular em 2019. O outro suspeito foi condenado a oito anos de prisão, enquanto Samuelson foi absolvido por falta de provas.

A sentença de absolvição foi publicada pela 1ª Vara Criminal de Viana, em julho de 2019, assinada pelo juiz Carlos Henrique Rios do Amaral Filho.

O Ministério Público do Estado, no entanto, recorreu e pediu a anulação da decisão do júri e assim o caso se estendeu por mais um ano. Na última quarta-feira (9), o pleno do Tribunal de Justiça negou o recurso o MP e confirmou a inocência.

“Foi o fim de uma injustiça que se alongou por 20 anos e a soberania do júri popular foi mantida. Trata-se de uma garantia constitucional”, pontuou Antônio Fernando Moreira.

Para o carioca, a decisão trouxe “paz e tranquilidade” após 20 anos de apreensão com o futuro.

Durante os anos em que o caso correu na Justiça, Kapella continuou atuando no mercado da música e das artes. Dividiu palco com grandes artistas da cena musical como O Rappa, Racionais MCs, Mr. Catra e produziu artistas como Marcelo D2.

O músico também investiu na carreira de ator e integrou o elenco de noves da TV Globo como Cordel Encantado e Fina Estampa. Em 2013, foi produtor cultural na Secretaria de Cultura de Mesquita, na Baixada Fluminesnce.

“Essa decisão trouxe para a minha vida a sensação de paz e tranquilidade. De poder seguir em frente com a cabeça erguida. Com a confirmação de que sou inocente, eu me sinto mais confiante para investir no meu trabalho. Até então, eu vivia diariamente a incerteza do meu futuro”, apontou.

Por causa da acusação, o músico contou que viveu tempos de depressão e insegurança na carreira.

“Muitos empresários pedem o documento de nada consta para a realização de novos projetos. Quando eles verificavam o meu nome, aparecia um processo judicial em andamento relacionado a minha pessoa. Eu poderia ter sido condenado injustamente, o que comprometeria todo o meu futuro e acabaria com a minha família. Até então eu estava bloqueado. Fiquei anos sem lançar nada. Hoje, o sentimento é de que a justiça foi feita”, comemorou.

Rapper e produtor musical Kapella foi inocentado pela Justiça do ES após 20 anos — Foto: Divulgação

Rapper e produtor musical Kapella foi inocentado pela Justiça do ES após 20 anos — Foto: Divulgação