Música, bandeira da Rede Gazeta e família marcam enterro de Cariê Lindenberg

Cariê e os filhos em foto de 2019 — Foto: Vitor Jubini/A Gazeta
Cariê e os filhos em foto de 2019 — Foto: Vitor Jubini/A Gazeta

Por Eduardo Fachetti, Rede Gazeta

A tarde de Sol, Céu azul e brisa leve em Vitória, na tarde desta terça-feira (6), poderia inspirar um poema ou uma crônica do escritor, empresário e músico Carlos Fernando Lindenberg Filho, o Cariê.

Mas tornou-se cenário do último adeus ao homem que dedicou mais da metade da vida ao jornalismo e à criação da Rede Gazeta. Ele morreu durante a madrugada, por complicações de uma pneumonia.

Cariê foi sepultado no começo da tarde no Cemitério de Santo Antônio, na capital capixaba. Devido às restrições impostas pela pandemia de Covid-19, as cerimônias de despedida foram restritas à família.

O padre Reuber Daltio fez uma celebração marcada por forte emoção dos familiares e amigos mais íntimos.

Estiveram ao lado de Cariê, no velório, os três filhos: o empresário Café Lindenberg, a produtora rural Leticia Lindenberg e a produtora cultural Beatriz Lindenberg; e dois dos cinco netos, Eduardo e Antônio. Além deles, a nora, Giovana, e dois amigos próximos da família. Um número incontável de autoridades, entidades e amigos enviaram coroas de flores para esse momento de despedida.

Cariê, que era músico, foi sepultado ao som de uma de suas criações, a música “Devaneio”, que entre os anos de 1976 e 1987 abria e encerrava a programação da TV Gazeta, afiliada da TV fundada por ele.

Durante quatro décadas, Cariê dedicou-se aos negócios na Rede Gazeta. O que na década de 1960 era apenas um jornal impresso transformou-se em um conglomerado de comunicação que reúne quatro emissoras de TV, dois sites e quatro rádios, abrigando mais de 500 funcionários.

Na despedida, o caixão do presidente do Conselho de Administração da empresa foi coberto com uma bandeira da Rede Gazeta, a quem ele sempre dedicou verdadeira paixão.

Pouco antes das despedidas fúnebres, os filhos de Cariê divulgaram uma manifestação onde destacaram que o pai “nos transmitiu o entusiasmo por novos projetos, o apreço pela verdade e pelas relações humanas. Sobretudo, nos ensinou a ter um olhar generoso para o que está ao nosso redor, para as coisas simples que não podemos deixar de lado”.

 

Cariê foi sepultado no começo da tarde no Cemitério de Santo Antônio, na capital capixaba

Cariê foi sepultado no começo da tarde no Cemitério de Santo Antônio, na capital capixaba

Leia mais

Leia também