ES: mulher que sobreviveu a sete tiros conta que usou Bíblia como escudo

Uma mulher de 32 anos, que foi atingida por vários tiros dentro de casa, no final do mês de abril, em Chácara Parreiral, na Serra, falou sobre a tentativa de assassinato. Ela contou que usou a Bíblia como escudo para se proteger dos disparos.

Com medo, a vítima preferiu não se identificar; mas contou que no dia do crime estava lendo a Bíblia na varanda, quando dois homens invadiram a casa dela e começaram a atirar à queima roupa. Segundo ela, um homem virou para o outro e perguntou se era ela mesma.

“Eu vi dois rapazes se aproximando, até então eu não imaginava que era para mim, pensei que iam se esconder”, contou ela.

As marcas dos tiros estão espalhadas pelos móveis. Ela considera um milagre ter sobrevivido. “É um testemunho de milagre, de vida”, disse ela.

Na hora do crime, a vítima usou a Bíblia como escudo. “Quando eles se aproximaram e atiraram em mim, eu só coloquei a Bíblia na cabeça e pedi ao Senhor que me guardasse”, lembrou.

Quase 20 tiros foram disparados, ainda assim, enquanto era atingida, a mulher permaneceu consciente. “O Senhor me guardou da morte. Foram muitos disparos, muitos”, afirmou ela.

Segundo ela, os criminosos pararam de atirar ao mesmo tempo. A vítima acredita que as armas tenham travado, porque a dupla apertava os gatilhos, mas nada saía, foi neste momento que eles fugiram.

“Já tinha muita gente na rua, pelos barulhos dos disparos, foram muitos e todo mundo se assustou. Sai com a Bíblia na mão, toda ensanguentada e fui para casa do meu pai, onde esperei o socorro”, relatou.

Em nenhum momento ela perdeu a consciência. No caminho para o Hospital, ela disse que entendia que aquele era um novo nascimento. “Eu só falava assim, Senhor me mantenha viva”, disse ela.

Ela foi atingida de raspão na cabeça, no maxilar, no dedo, no peito, no braço, na perna e uma das balas está alojada no pulmão.

A família prefere não comentar o fato e depois do que aconteceu, se mudou de bairro e de cidade. Enquanto isso, a mãe de quatro crianças e o marido, que precisou pedir demissão para cuidar dos filhos, estão sem renda e morando de favor.

“A gente tá passando por algumas dificuldades. Graças a Deus, o Senhor não tem deixado faltar, mas não estamos tranquilos”, confessou ela.

Ver os filhos crescer, testemunhar na igreja o milagre que viveu e acordar todo dia em família, transformou a vítima.

“Deus deu uma segunda chance para eu ser uma mãe melhor para meus filhos e uma esposa melhor para meu marido. Desde o dia que aconteceu isso comigo, eu não sou mais a mesma pessoa”, concluiu ela.

A Polícia Civil informou que até o momento, nenhum suspeito foi detido. O caso segue sob investigação da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher.

Informações: Folha Vitória


Leia mais

Leia também