MT: Expectativa da indústria local é de cenário positivo em 2021, afirma presidente da FIEMT

Apesar do receio das incertezas em relação à pandemia do novo coronavírus, a expetativa é de um cenário otimista para o setor da indústria mato-grossense, em 2021. A previsão é do presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (FIEMT), Gustavo de Oliveira. Segundo ele, o setor industrial local é diversificado e composto por segmentos que, mesmo com a atual crise, tiveram importante incremento econômico.

“Talvez o setor de alimentos seja o maior representante dessa indústria mato-grossense, uma demanda mundial crescente, preços em ascensão e mercados sendo abertos no mundo inteiro. De uma maneira geral, os setores como o de base florestal, a própria indústria da construção, a geração de energia elétrica, os biocombustíveis e tantos outros que temos aqui em Mato Grosso têm um cenário muito promissor, não só para 2021, mas também para a próxima década”, destaca.

Empresas optantes pelo Simples Nacional poderão reparcelar dívidas tributárias

CNI defende regras simplificadas da LGPD para micro e pequenas empresas

Trabalho remoto movimentou R$ 35 bi em setembro

Sobre o setor da construção, por exemplo, no mês de setembro, as empresas de Mato Grosso registraram 55,2 pontos na evolução do nível de atividade. O indicador marcou recuo de 6,3 pontos frente a agosto deste ano. No entanto, na comparação com o mesmo mês de 2019, houve um salto de 7,8 pontos.

Em relação a 2020, Gustavo de Oliveira afirma que foi um ano atípico, mas que as ações promovidas pelas FIEMT ajudaram a minimizar os efeitos da pandemia, sobretudo quanto aos cuidados com a saúde e segurança dos trabalhadores que atuam no setor.

“Tivemos um conjunto de atuações muito forte, visando, principalmente, essa reorganização do espaço e dos métodos de trabalho no ambiente industrial. Criamos uma estratégia de rede de proteção, apoiamos a Secretaria de Estado de Saúde na inteligência, no acompanhamento da evolução da pandemia, por meio de um painel de controle feito pelo nosso observatório da indústria, que foi fundamental para orientar as ações do setor público no combate ao novo coronavírus”, pontua Oliveira.

Ações contra a Covid-19

Desde o início da pandemia, um grupo composto por 100 costureiras profissionais e 250 faccionistas da fábrica de máscaras instalada no centro de eventos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de Mato Grosso (Senai MT), em Cuiabá, se dedicou a produzir as peças para ajudar no combate à Covi-19.  A iniciativa foi encerrada com entrega total de 5 milhões de máscaras produzidas.

Além disso, as unidades do Sesi Escola de Cuiabá e Várzea Grande realizam testes gratuitos de detecção de Covid-19 na comunidade escolar. A ação foi feita entre os dias 9 de outubro e 10 de novembro e teve como tema ‘Cuidado e Afetividade que Aproximam’. O teste rápido foi feito em alunos, pais e responsáveis (comprovados mediante apresentação de documento), nos respectivos estacionamentos do Sesi Escola Cuiabá e Senai Várzea Grande.

Ação semelhante foi desenvolvida com mais de 700 colaboradores da Energisa Mato Grosso, em Cuiabá. Os trabalhadores da companhia também receberam testes de detecção da Covid-19 pela equipe de Saúde e Segurança do Serviço Social da Indústria (Sesi MT). O objetivo foi desencadear um processo orientador sobre boas práticas de saúde, segurança e qualidade de vida, por exemplo.
 

Foto: Arquivo/EBC

Leia mais

Leia também