Minneapolis vive outra noite de protestos apesar do toque de recolher


Cerca de mil soldados da Guarda Nacional foram destacados para a cidade para evitar mais protestos contra os abusos da polícia.
A cidade americana de Minneapolis viveu nesta madrugada novos protestos pelo assassinato do afro-americano Daunte Wright nas mãos da Polícia, informa a Telesul.

Milhares de pessoas se mobilizaram por várias ruas da cidade, desafiando o toque de recolher decretado nessa cidade do norte dos Estados Unidos.

Os manifestantes se reuniram em frente à delegacia de polícia do Brooklyn Center, no subúrbio de Minneapolis onde ocorreu o incidente.

Na presença dos manifestantes, a polícia começou a disparar bombas de gás e granadas contra os civis na tentativa de dispersar a multidão.

De acordo com relatos da mídia local, vários dos manifestantes foram presos pela força policial.

Após as manifestações de domingo, o prefeito de Minneapolis, Jacob Frey, decretou um toque de recolher que entrou em vigor a partir das 19h de segunda-feira, também na vizinha Saint Paul e nos três condados da região metropolitana, incluindo Hennepin, onde ocorreu. o incidente.

Somado ao toque de recolher está o envio de mil soldados da Guarda Nacional para prevenir novos protestos e manifestações contra os abusos da polícia.

No domingo, durante um controle de tráfego no Brooklyn Center, um agente branco supostamente “acidentalmente” atirou no afro-americano Daunte Wright, 20, conforme explicado nesta segunda-feira em entrevista coletiva pelo delegado local, Tim Ganno.

A morte de Daunte Wright pelas mãos da polícia reviveu o trauma de uma cidade que sofreu várias noites de incidentes após a morte do afrodescendente George Floyd em 25 de maio. 

Protestos em maio do ano passado pelo assassinato de George Floyd

Protestos em maio do ano passado pelo assassinato de George Floyd (Foto: Reprodução)

Leia mais

Leia também