Ministério Público tenta barrar Reginaldo Quinta em Presidente Kennedy

O Ministério Público Eleitoral (MPE) recomendou ao Tribunal Reginal Eleitoral (TRE-ES) que a candidatura do ex-prefeito Reginaldo Quinta (DEM) seja impugnada, na tentativa de evitar o que está sendo chamado na cidade de “estelionato eleitoral”, que é quando um candidato recorrer a liminares para se eleger e depois é cassado, obrigando à realização de outro pleito complementar.

Exemplo mais recente aconteceu em Castelo, no Sul do Estado, onde em 2016 Luiz Carlos Piassi conseguiu registrar sua candidatura e eleger-se baseado em liminares judiciais. Depois, em agosto de 2019, acabou tendo sua chapa cassada pela Justiça Eleitoral.

O pedido do MPE de impugnação do registro de Reginaldo foi enviado enviado na última segunda-feira(28) e baseia-se em sentença transitada em julgado em 3 de outubro de 2019, condenando-o a três anos de suspensão de direitos políticos. Reginaldo registrou a chapa, tendo sua sobrinha Geovana Quinta (Republicano) como candidata a vice-prefeita, por força de liminar concedida, cautelarmente, pelo desembargador Wallace Pandolpho Kiffer, com a ressalva de que sua decisão pode mudar na análise do mérito dos autos.

A sentença começou a ser cumprida em 18 de maio de 2020, por determinação do Juízo da Vara Única da Comarca de Presidente Kennedy, mediante requerimento do Ministério Público Estadual, depois que o STJ conheceu do Recurso Especial contra a sentença da Justiça Estadual por atos de improbidade do ex-prefeito, mas negou-lhe provimento.

No dia 3 de junho de 2020, a juíza Priscilla Bazaarella de Oliveira determinou que os nomes dos réus do processo resultante da chamada “Operação Moeda de Troca” fosse inscrito no sistema Infodip, e comunicando a inelegibilidade à Justiça Eleitoral.

Em 17 de agosto deste ano, Reginaldo Quinta sofreu mais uma derrota no Superior Tribunal de Justiça, quando o ministro Og Fernandes, da Primeira Seção do STJ, indeferiu, liminarmente, a Ação Rescisória proposta pela defesa de Quinta.

MOEDA DE TROCA

A condenação de Quinta refere-se ao rumoroso caso denominado pelo Ministério Público Estadual de “Operção Moeda de Troca”. A sentença condenatória foi publicada em 11 de março de 2016 nos autos do processo 0001332-31.2010.8.08.004, ajuizado em 17 de dezembro de 2010. São réus no processo, além do ex-prefeito Reginaldo, a Associação Montanhas Capixabas Turismo e Evento e as pessoas de Patrícia Pereira Ornelas Andrade (Vip Produções e Eventos) e Paulo César Santana Andrade.

De acordo com o Ministério Público Estadual, houve danos de R$ 485 mil ao erário municipal de Presidente Kennedy, numa contratação de eventos sem licitação tendo a Associação Montanhas Capixabas como intermediária dos empresários Patrícia e Paulo César Andrade.
A “Operação Moeda de Troca” levou para a prisão três empresários, dois secretários municipais e servidores públicos ligados a esquemas de direcionamento de concorrências públicas das prefeituras de Santa Leopoldina, Presidente Kennedy, Cachoeiro de Itapemirim, Serra e Viana.

Foram investigados 11 contratos referentes a 2009 e 2010 que, ao todo, somam no epicentro das fraudes R$ 28 milhões. Entre os serviços prestados estão limpeza pública, manutenção de veículos e até shows – eventos em que haveria superfaturamento.

PRISÃO NA OPERAÇÃO LEE OSWALD

Reginaldo Quinta, principal do prefeito Dorlei Fontão (PSD), candidato à reeleição em Presidente Kennedy, tendo o ex-prefeito Aluizio Correa (Podemos) como vice, é um dos principais personagens da troca da política do município pelas páginas policiais, quando foi preso, em abril de 2012 na chamada “Operação Lee Oswald”, a maior ação jamais realizada no Espírito Santo com vistas a combater a corrupção e que parou o município do Sul do Estado. Na ocasião, entre os presos estava também sua sobrinha Geovana Quinta, hoje filiada ao Republicanos e inscrita por Reginaldo como sua candidata a vice-prefeita nas eleições de 15 de novembro.

O caso na época teve ampla repercussão e o G1 noticiava que Reginaldo dos Santos Quinta foi preso durante a operação, deflagrada pela Polícia Federal, na manhã de 19 de abril de 2012, quando 27 pessoas foram presas durante o cumprimento de 79 mandados judiciais, sendo 51 de busca e apreensão, além de 13 mandados de prisões preventivas e 15 de prisões temporárias.

Segundo a PF, Geovana Quinta formava a quadrilha junto com o tio e ocupava três secretarias municipais. Na época, foram presos também o procurador geral do município, integrantes da comissão de licitação, empresários e dois policiais militares, um deles comandante da Guarda Municipal.

A suspeita era de desvio de mais de R$ 50 milhões dos cofres públicos, num esquema que seria liderado por Reginaldo para praticar fraudes em licitações, superfaturamentos, desvios de verbas, além de pagamentos indevidos em contratos de serviços e compras de materiais.

PRESTÍGIO

Apesar do escândalo, Reginaldo sempre teve muito prestígio político e, para manter a família no controle do município, elegeu naquele ano de 2012 outra sobrinha, Amada Quinta, como prefeita pelo PSDB. Amanda, depois, rompeu com o tio e se reelegeu em 2016, derrotando o próprio tio, Reginaldo.

O inquérito da Lee Oswald foi desmembrado nunca teve decisão final na Justiça. Agora, porém, Reginaldo Quinta está com direitos políticos suspensos por três anos em função de outra investigação, a chamada “Operação Moeda de Troca”, do Ministério Público Estadual. No dia 3 de junho de 2020, a juíza Priscilla Bazaarella de Oliveira determinou que os nomes dos réus do processo resultante da chamada “”Operação Moeda de Troca” fosse inscrito no sistema Infodip, e comunicando a inelegibilidade à Justiça Eleitoral.

Ao enfrentar a Justiça e insistir em ser candidato, Reginaldo coloca como candidata a vice-prefeita sua sobrinha Geovana Quinta, segundo bastidores da política local, com a intenção de, impugnada a sua candidatura por intervenção do Ministério Público Eleitoral, fazer de Geovana a candidata a prefeita, como fez com Amanda em 2012. Amanda hoje também está afastada da prefeitura, depois de flagrada na “Operação Rubi” recebendo propina da empresa que fazia a limpeza pública no município.

CANDIDATOS

Três candidaturas estão postas para disputar a chefia do Executivo nas eleições de 15 de novembro, com chapas de prefeito e vice-prefeito: Dorlei Fontão-Aluizio Correa, na coligação PSD-Podemos; Reginaldo Quinta-Geovana Quinta, na aliança DEM-Republicanos; e a chapa puro sangue do PDT formada Rubem Moreira e Eduardo da Farmácia, mas também com o PP na coligação.

Dorlei Fontão era o vice-prefeito eleito na chapa de Amanda em 2016 e assumiu a Prefeitura em abril de 2019, quando a Justiça afastou a titular, decisão reformada posteriormente, o que a manteve fora da Prefeitura até o final do mandato. Amanda chegou a ser presa em abril, mas foi solta em setembro. Apesar de afastada, ela continua recebendo salários e até hoje a Câmara não se moveu para instalar um processo de impeachment, apesar do flagrante de corrupção.

Dorlei cancelou o contrato da empresa de limpeza urbana, economizou R$ 5 milhões para os cofres públicos, imprimiu um ritmo de realização de obras em todas as comunidades e seu governo destacou-se no enfrentamento da pandemia de Covid-19. Hoje, o índice de curados da doença em Presidente Kennedy é de quase 94% dos infectados pelo novo coronavirus. Os números de testados positivos no município é o mais alto, proporcionalmente, do Estado devido à ação de testagem massiva e monitoramento de 100% da população.

O portal da transparência da Prefeitura de Presidente Kennedy revela que Dorlei pilota um orçamento anual em torno de R$ 400 milhões. Desse volume de receitas, o gasto com pessoal não passa de 21,5%. O futuro prefeito, se Dorlei reeleito ou outro, vai herdar uma bolada de mais de R$ 1 bilhão que a prefeitura tem em caixa. Presidente Kennedy tem pouco mais de 11.600 habitantes e o maior PIB per capta do Estado e o quarto do País, graças às receitas dos royalties do petróleo.

Leia mais

INDICADORES: Baixa no boi gordo nesta quinta (16)

A cotação da arroba do boi gordo começou a quinta-feira (16) com queda de 1,83% no preço e o produto é negociado a R$...

Policiais Militares de Ecoporanga apreendem droga e prendem acusado de tráfico

Na noite da última segunda (1805/2020), durante patrulhamento...

Caixa abre 12 agências neste sábado no Espírito Santo

A Caixa Econômica Federal vai abrir 12 agências neste sábado (5) no Espírito Santo. As agências vão abrir das 8h às 12h para atendimento...

Conheça algumas mudanças no saneamento básico com sanção do marco regulatório

Sancionado com vetos no último dia 15 de julho pelo presidente Jair Bolsonaro, o Novo Marco Legal do Saneamento Básico prevê água potável para...

Leia também

MEC e FNDE promovem evento para esclarecer gestores sobre uso do recurso emergencial do PDDE

O Ministério da Educação (MEC) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) promoveram, nesta segunda-feira (26), um webinar para esclarecer a melhor...

Projeto de Lei suspende prazo para prestação de contas em iniciativas da educação básica

Um Projeto de Lei em tramitação na Câmara dos Deputados pretende suspender, durante o estado de calamidade pública por causa da Covid-19, a prestação...

Presidente do Congresso prorroga Casa Verde Amarela por mais 60 dias

O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), prorrogou por mais 60 dias a medida provisória que cria o programa habitacional Casa Verde...

Prorrogado prazo de inscrição no Cadastro Único para beneficiários do BPC

O Governo Federal prorrogou, mais uma vez, o prazo de inscrição no Cadastro Único para favorecidos do Benefício de Prestação Continuada (BPC). A medida...