Ministério Público promove reunião com pais de alunos para discutir o retorno presencial das aulas no ES

O Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Gabinete de Acompanhamento da Pandemia do novo Coronavírus (Covid-19), promoveu uma reunião virtual na quarta-feira (05) com associações de pais de alunos para debater o retorno das atividades educacionais presenciais nas escolas públicas e privadas do Estado.

O encontro teve a participação de representantes da Associação de Pais de Alunos do Estado do Espírito Santo (Assopaes), da Associação de Pais Pela Educação do Espírito Santo, da Associação de Pais de Escolas Particulares do Espírito Santo (Apepes) e do Grupo de Apoio Força Azul.

Além de abordar os protocolos sanitários necessários para viabilizar o retorno seguro às aulas presenciais e evitar que crianças, adolescentes, professores e funcionários sejam contaminados pela Covid-19, foram debatidos a possibilidade do retorno das aulas de forma híbrida, permitindo que os pais que não se sentirem seguros deixem os filhos desenvolvendo as atividades online em casa; a importância da fiscalização das unidades escolares para acompanhar o cumprimento das medidas de biossegurança contra a proliferação da doença; bem como uma possível penalidade para os pais que deixarem de cumprir alguma das medidas de biossegurança ao encaminharem os filhos para a escola.

A reunião, conduzida pela dirigente do Centro de Apoio Operacional de Implementação das Políticas de Saúde (Caops) e coordenadora do GAP-Covid-19 do MPES, promotora de Justiça Inês Thomé Poldi Taddei, contou com a participação da dirigente do Centro de Apoio Operacional de Implementação das Políticas de Educação (Caope), promotora de Justiça Maria Cristina Rocha Pimentel, e da dirigente do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude (CAIJ), Valéria Duarte Barros de Morais.

Inês Thomé Poldi Taddei lembrou que o MPES, ao longo desta semana, tem realizado reuniões segmentadas para debater esse tema. Um dia antes, na terça-feira (04/05), o encontro virtual foi com médicos representantes das Sociedades de Pediatria e Infectologia do Espírito Santo.

“O MPES está ouvindo cada segmento (famílias, professores, escolas e especialistas) para que possamos recomendar as medidas necessárias para o exercício efetivo do direito à educação, ressaltando que o objetivo é o funcionando com o cumprimento dos protocolos sanitários estabelecidos. Para que isso aconteça, precisamos que professores, funcionários, pais e alunos se comprometam no cumprimento dessas medidas”, destacou.

Ao final do encontro, a coordenadora do GAP-Covid-19 ressaltou que, neste momento da pandemia, o modelo híbrido é a “melhor forma de darmos condições de atender à comunidade escolar como um todo”, desde que todos os protocolos sanitários sejam cumpridos.

Amanhã, a reunião virtual será com representantes do Sindicato das Empresas Particulares de Ensino do Espírito Santo (Sinepe/ES).


Leia mais

Leia também