Ministério Público do Espírito Santo cumpre 37 mandados de prisão em operação contra facção criminosa

O Ministério Público do Espírito (MPES), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) com apoio da Polícia Militar, deflagrou, na manhã desta segunda-feira (19), uma operação para cumprir 37 mandados de prisão e 13 de busca e apreensão na Grande Vitória e Norte do Espírito Santo.

As investigações para a “Operação Armistício” tiveram início em 2019 para apurar crimes de uma organização criminosa que contava com a participação de advogados.

De acordo com a investigação do MPES, esses advogados usavam prerrogativas da profissão para garantir a comunicação das lideranças dessa facção que estavam presos com criminosos em liberdade ou foragidos do sistema prisional.

Para chegar até os investigados, o Ministério Público informou que fez interceptações telefônicas e telemáticas.

Dessa forma, foram encontradas provas de que ações como tráfico de drogas, aquisição e porte de armas e munições, assassinato de pessoas, queima de ônibus e outras ações violentas foram executadas por meio de comunicação exercida por advogados.

Ao todo, são cumpridos 37 mandados de prisão preventiva e 13 mandados de busca e apreensão em municípios da Grande Vitória, Aracruz e São Mateus, no Norte do estado.

Dos mandados, nove são relacionados a nove advogados, cuja busca e apreensão tem acompanhamento de representantes da Comissão de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Espírito Santo (OAB-ES), em cumprimento de decisão judicial da 10ª Vara Criminal de Vitória.

Além dos mandados judiciais, serão cumpridas notificações de advogados para serem ouvidos perante o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Ministério Público do Espírito Santo foi o órgão que teve maior aumento — Foto: Vitor Jubini/A Gazeta

Ministério Público do Espírito Santo foi o órgão que teve maior aumento — Foto: Vitor Jubini/A Gazeta


Leia mais

Leia também