Ministério Público do Egito pede que médico bolsonarista siga detido até conclusão de investigação sobre assédio


Revista Fórum – O médico bolsonarista Victor Sorrentino, preso no Egito neste domingo (30) após assediar uma vendedora muçulmana, terá que ficar, ao menos, mais um dia detido no país a pedido do Ministério Público egípcio. Na última semana, Sorrentino publicou nas redes sociais um vídeo fazendo “piada” misógina e assediando uma mulher muçulmana.

Em audiência realizada nesta segunda, a vítima decidiu continuar com o processo. O MP acusa Sorrentino de assédio sexual verbal, violação da vida privada e violação dos princípios e tradições familiares da sociedade egípcia. 

Leia a íntegra na Revista Fórum

(Foto: Reprodução)