Ministério do Comércio da China diz que disputas com EUA devem ser resolvidas com diálogo


Na última quinta-feira (1), o porta-voz do Ministério do Comércio da China, Gao Feng, disse que enquanto duas maiores economias do mundo, a essência das relações econômicas e comerciais entre a China e os EUA é mutuamente benéfica”, o que obriga os dois países ao diálogo.  

A China sempre se opôs à imposição unilateral de tarifas, porque isso não é bom para o país, para os Estados Unidos, ou para o mundo, disse ele, comentando as recentes declarações do novo representante comercial dos EUA, informa o Diário do Povo

Katherine Tai, a representante comercial dos EUA, disse ao Wall Street Journal que os EUA não estão prontos para suspender as tarifas sobre as importações chinesas em um futuro próximo, mas poderão estar abertos a negociações comerciais. 

Respondendo a perguntas sobre declarações da mídia de que a Austrália está planejando buscar a intervenção da Organização Mundial do Comércio na questão do vinho, Gao disse que os direitos antidumping sobre o vinho australiano foram impostos de acordo com os procedimentos legais do país e as regras da OMC. 

A China decidiu impor tarifas antidumping de 116,2% a 218,4% sobre o vinho australiano por um período de cinco anos, com início a 28 de março. Os vinhos australianos foram subsidiados e vendidos abaixo do preço de mercado. A taxa de subsídio está entre 6,3% e 6,4% e, para evitar a dupla tributação, a China decidiu não impor um imposto anti-subsídio. 

As investigações demonstraram que o dumping de vinhos australianos importados causou danos substanciais à indústria vinícola chinesa, disse Gao. 

Tu Xinquan, professor e reitor do Instituto Chinês para Estudos da OMC da Universidade de Negócios Internacionais e Economia de Beijing, disse que a China sempre foi fiel ao multilateralismo e ao livre comércio. O país é muito cauteloso na imposição de direitos antidumping, disse, acrescentando que seria bom se a China e os EUA resolvessem as disputas por meio do diálogo e de consultas com base no respeito mútuo e na igualdade de tratamento.  

“Não importa, se as disputas são sobre tarifas ou outras questões, desde que as duas partes estejam abertas ao diálogo e consulta, ainda há esperança de evitar a imposição de tarifas unilateralmente”, disse Tu.

 

(Foto: Diário do Povo)

Leia mais

Leia também