Ministério da Saúde monitora síndrome inflamatória que ataca crianças e pode estar relacionada à Covid-19

O Brasil passou a monitorar casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) em crianças e adolescentes, com idade entre 7 meses e 16 anos. A medida foi tomada com o intuito de identificar se a síndrome estar relacionada à Covid-19. 

Na última semana, as notificações desses casos foram acrescentadas nos sistemas de monitoramento do Ministério da Saúde. A ideia é que também sejam mantidos diálogos com as secretarias de saúde estaduais e municipais para orientar o diagnóstico e atendimento de possíveis casos. 

Até julho de 2020, 71 casos foram registrados em quatro estados. No Ceará foram 29, no Rio de Janeiro foram 22, no Pará foram 18 e no Piauí, mais dois. No estado do Rio de Janeiro ainda foram registrados três óbitos.  

A maior parte dos casos relatados apresentou exames laboratoriais que indicaram infecção atual ou recente pelo SARS-CoV-2 ou vínculo epidemiológico com caso confirmado de Covid-19. 

Entidades entregam Plano Nacional de Enfrentamento à Covid-19 ao Ministério da Saúde

Ao reduzir burocracia, novo marco legal pode acelerar liberação de testes clínicos em humanos

Apesar de esses casos descritos apontarem para uma possível relação de uma nova característica da Covid-19, o Ministério da Saúde ressalta que estas ocorrências foram raras até o momento, quando comparado ao elevado número de casos “com boa evolução da doença entre crianças e adolescentes.

 

Foto: Arquivo/EBC


Leia mais

Leia também